Please select your country / region

Close Window
GT
Comunidade GT SPORT
PT
Relatório de Evento

Uma obra-prima do mundo automóvel que conquistou os circuitos: o Alfa Romeo 8C2300 vence o Troféu Gran Turismo 2019

No dia 26 de agosto, no 68º Pebble Beach Concours d’Elegance, realizado nos Estados Unidos, o produtor da série Gran Turismo, Kazunori Yamauchi, atribuiu o Troféu Gran Turismo ao Alfa Romeo 8C2300 de 1931.

Este carro é um exemplo perfeito dos designs da Alfa Romeo da década de 1930. Era baseado no 6C, que já tinha alcançado várias vitórias surpreendentes no mundo dos desportos motorizados. O mestre engenheiro Vittorio Jano combinou o chassis do 6C com um motor de 2,3 L com oito cilindros em linha, equipado com uma cabeça leve em alumínio e convertido para um cárter seco, e completou esta obra-prima com um sobrealimentador de estilo Roots. O 6C e o 8C da designação de modelo referem-se ao número de cilindros, enquanto que o número seguinte representa a cilindrada.

A velocidade fenomenal do 8C levá-lo-ia a quatro vitórias consecutivas nas 24 Horas de Le Mans entre 1931 e 1934, bem como a três vitórias consecutivas tanto no Targa Florio como na Mille Miglia. Foram produzidas cerca de 188 unidades ao longo de quatro anos a partir de 1931, com a maior parte das carroçarias a serem criadas pela Touring ou pela Zagato. As proporções magníficas deste automóvel são exemplificadas pela forma como combina o capô longo que alberga o motor de oito cilindros, a carroçaria rebaixada e os para-choques minimalistas.

Gostaríamos também de apresentar alguns carros notáveis agraciados com galardões e ainda outros nomeados para o Troféu Gran Turismo deste ano.

Chrysler Thunderbolt (1941)

Antes do início da II Guerra Mundial, o automóvel era um objeto de desejo para o povo americano. Os fabricantes apresentavam os seus “carros de sonho”, hoje em dia conhecidos como modelos concept, fomentando ainda mais o desejo de possuir um automóvel.

O Thunderbolt é um destes carros de sonho. Foi projetado pelo futurista Alex Tremulis, que mais tarde viria a produzir o famoso sedan Tucker. Apesar da ausência dos para-choques e da grelha do radiador salientes que caracterizavam os Chryslers, o Thunderbolt apresentava inúmeras inovações tecnológicas incluindo um tejadilho elétrico retrátil, faróis retráteis e janelas elétricas.

Bentley 4.5L (1928)

Quando falamos de Bentleys, é impossível não mencionar as 24 Horas de Le Mans. A marca começou a competir em Le Mans na primeira corrida, em 1923, e viria a alcançar quatro vitórias consecutivas entre 1927 e 1930.

O 4.5L é um dos carros deste período, tendo alcançado a vitória em 1928. É notável pelo seu motor de grande capacidade que foi selecionado para compensar a carroçaria angular e pesada. O motor SOHC de quatro válvulas e quatro cilindros em linha com 4398 cc produzia 110 cavalos. Entre 1927 e 1931, foram criados 665 destes carros. A sua carroçaria Vanden Plas standard adornada com tinta British Racing Green faz deste um Bentley excecionalmente atraente.

Porsche Carrera GTL (1960)

Baseado no 356, que já era um dos carros desportivos de maior realce da sua época, o Carrera era um modelo especial modificado para a competição. Apesar de terem sido produzidas apenas 60 unidades, 20 delas chegaram às mãos do especialista em tuning Carlo Abarth, em Turim, onde receberam novas modificações de redução de peso. O resultado é o Carrera GTL.

A carroçaria foi projetada pelo estilista Franco Scaglione, conhecido pelos seus designs aerodinâmicos. Estes carros viriam a competir nas 24 Horas de Le Mans entre 1960 e 1962, onde alcançaram 3 vitórias consecutivas na classe 1600 cc. Este veículo em particular foi vendido a um comprador sueco e mantém um elevado nível de originalidade, para além de apresentar uma baixa quilometragem.

Howmet TX (1968)

Durante a década de 1950 existiu um grande interesse na possível substituição dos motores de pistões do futuro por motores de turbinas a gás. A Renault, a Fiat, a Rover e a Chrysler, tal como outras organizações, levaram a cabo testes com máquinas do género. Este Howmet TX é um exemplo raro da tecnologia de turbinas a gás implementada num carro de competição.

O instigador do projeto foi o piloto de competição Ray Heppenstall, que propôs equipar um chassis da McKee Engineering com dois motores de turbina de helicóptero da Continental Aviation. O carro não conseguiu terminar as corridas de resistência de 24 horas de 1968 em Daytona, Sebring e Le Mans, apesar de ter alcançado resultados positivos em diversas competições de sprint.

Ferrari 250GT (1956)

Desde que abandonou a Alfa Romeo, Enzo Ferrari sempre favoreceu os motores de 12 cilindros. Este sonho viria a ser cumprido pelo Ferrari-Colombo V12, projetado pelo engenheiro Gioacchino Colombo, que tinha abandonado a Alfa Romeo para trabalhar com a Ferrari. Um dos carros dotados deste motor era a série 250.

Com produção iniciada em 1956, a maior parte dos modelos do 250GT foram construídos pela Scaglietti com base numa carroçaria da Pininfarina. Contudo, a Zagato também produziu uma série limitada de cinco carros dirigida a clientes que procuravam um design mais radical. Este carro em particular foi o primeiro destes veículos a ser produzido e apresenta um esquema cromático a dois tons com azul escuro metálico e branco que o destaca do restante alinhamento da Ferrari.

O Alfa Romeo 8C2300 que conquistou o Troféu Gran Turismo será adicionado ao Gran Turismo no futuro. O prémio “Best of Show” do Pebble Beach Concours d’Elegance deste ano foi atribuído ao Bentley 8 Litre Gurney Nutting Sports Tourer (1931).

(Descrições providenciadas por Hideo Kodama)