GT

Please select your country / region

Close Window
Comunidade do GT SPORT
BR
TopoLeia os relatóriosNations CupManufacturer SeriesCalendárioArquivos

Voltar para a lista

NATIONS CUP
Os 16 melhores jogadores do mundo disputam o maior campeonato online!
Série de 2020 | Nations Cup | World Finals
20/12/2020

Para muitas pessoas ao redor do mundo, 2020 será um ano para esquecer. Não é o caso de Takuma Miyazono, o piloto japonês que se tornou o novo campeão da Nations Cup dos FIA Gran Turismo Championships. Essa vitória fechou um ano incrível para o jogador de 20 anos, que também venceu a World Tour de 2020 - Sydney, em fevereiro, antes que a pandemia interrompesse os eventos ao vivo. Com as corridas exclusivamente online, Miyazono continuou com a sequência de vitórias, ganhando a Série Online da Nations Cup da Ásia, antes de vencer as Finais Regionais da Ásia e Oceania. A semana das World Finals também foram bem-sucedidas, com o jogador conquistando a Toyota GR Supra GT Cup antes de levar o título mundial para a Subaru na Manufacturer Series. A emocionante vitória na Nations Cup completa uma sequência sem precedentes na história de Gran Turismo para o mestre das estratégias.
A World Finals da Nations Cup ocorreu no último dia dos FIA GT Championships de 2020. Os 16 jogadores mais velozes de 10 países haviam se classificado por meio das Finais Regionais Online e agora se reuniam mais uma vez para decidir quem era o mais rápido.

O formato deste ano foi ligeiramente revisado por conta da pandemia global. Os jogadores competiram em três corridas realizadas via vídeo, com os grids de largada determinados por sessões classificatórias de 10 minutos. Pontos eram concedidos aos 10 primeiros colocados, com o Grande Final concedendo o dobro da pontuação. Além disso, os vencedores da temporada ganharam pontos da World Tour que seriam contados neste campeonato, tornando o espanhol Coque López (vencedor da região EMEA) e o brasileiro Adriano Carrazza (vencedor da região das Américas) os favoritos desde o início da competição. Mas foi Takuma Miyazono (vencedor da região da Ásia e Oceania e da World Tour de 2020 - Sydney) quem tinha mais pontos na tabela antes de o evento começar, além de ter conquistado a GR Supra GT Cup e a Manufacturer Series.

Corrida 1

O primeiro evento do dia foi uma corrida de 13 voltas na Fuji International Speedway, na prefeitura de Shizuoka, Japão. O carro selecionado foi o arrojado Toyota GR Yaris, cuja versão real apareceu no incrível GT Studio que sediou a transmissão das World Finals. Os pilotos precisavam dar pelo menos uma volta com pneus médios e duros. Ou seja, a estratégia de entrada nos boxes seria fundamental desde o começo. Assumindo a pole da corrida 1 estava o japonês Miyazono (Kerokkuma_ej20), que venceu os italianos Giorgio Mangano (Williams_Gio), em 2º, e o Valerio Gallo (Williams_BRacer), em 3°, na classificatória. Largando em 4º lugar, vinha Rick Kevelham da Holanda (HRG_RK23).

A largada em movimento dava margem a um começo frenético na primeira curva, com Miyazono liderando a corrida e defendendo-se dos primeiros ataques de Mangano. Com os sete primeiros colocados usando pneus médios, todos ficaram colados uns nos outros em quase todos os trechos da pista. O espanhol Coque López (Williams_Coque14), campeão regional da EMEA, teve uma classificatória decepcionante, largando em 8º lugar e também sofrendo uma penalidade de um segundo por ignorar os limites da pista na primeira volta da corrida.

No começo da volta 5, Mangano ultrapassou Miyazono para ficar com a liderança, usando tarde os freios na curva 1. Foi aí que outro italiano, Gallo, fez a mesma coisa na estreita curva 6, ficando com o 2º lugar. Os primeiros pit stops aconteceram na metade da corrida, mas os sete primeiros colocados, todos com pneus médios, decidiram continuar na pista.

Na volta 7, vários dos primeiros colocados, incluindo Miyazono, mas tirando Mangano e Gallo, entraram nos boxes para trocar os pneus médios por suaves. O chileno Angel Inostroza (YASHEAT_Loyrot), em 4º lugar, cometeu um erro crucial quando colocou novamente um conjunto de pneus médios da Michelin, em vez de pneus duros. Assim, ele teria que fazer mais uma parada, praticamente acabando com as chances dele de vencer a corrida. Na volta 8, os dois italianos que lideravam a corrida entraram nos boxes para colocar pneus duros, voltando à pista nas mesmas posições. Então, com quatro voltas restantes, era preciso acelerar, com Mangano à frente de Gallo e Miyazono, seguido por Kevelham e pelo japonês Ryota Kokubun (Akagi_1942mi), em 5º lugar. Inostroza decidiu entrar de penetra nessa festa, competindo com os líderes da corrida e deixando de fazer o pit stop necessário. Ele acabou colidindo com Mangano ao tentar ultrapassá-lo e depois tirou tinta de Gallo e Miyazono, que sem dúvida estavam rezando para o chileno sair da frente. Mas, para todos os efeitos, Inostroza estava se divertindo demais para entrar nos boxes naquele momento.

Na volta 11, Gallo conquistou a liderança na reta frontal, dando o troco no seu conterrâneo na entrada da curva 1 e tirando fininho de Mangano na saída. Mas ele acabou abrindo demais na curva da Panasonic (curva 16), deixando Mangano voltar para a frente e permitindo que Inostroza ficasse na lateral dele. Os três carros pareciam estar colados enquanto percorriam a reta frontal a 240 km/h.

Na volta 12, o japonês Tomoaki Yamanaka (yamado_racing38), que havia conquistado o 4º lugar, partiu para cima do conterrâneo Miyazono na curva 13, ficando com o 3º lugar. A manobra pareceu mexer com o psicológico de Miyazono, já que Serrano e Kevelham também o deixaram para trás na curva seguinte, fazendo com que ele ficasse em 7º lugar. Com Inostroza finalmente entrando nos boxes, Gallo ultrapassou Mangano para ficar na liderança, mas Yamanaka ainda estava na espreita, sendo o único dos seis primeiros colocados com pneus médios e mais velozes. No entanto, quando o piloto japonês tentou ultrapassar Mangano na 300R (curva 9), ele foi tranquilamente obrigado a ceder a linha de corrida, diminuindo o ritmo para deixar Serrano e Kevelham passarem. Num piscar de olhos, Yamanaka havia caído de 2º para 5º lugar.

A corrida terminou com Gallo cruzando a linha de chegada em primeiro, seguido por Mangano, Serrano e Kevelham, enquanto o canadense Andrew Brooks (PX7-Deafsun), que largou em 9º, conseguiu a façanha de terminar entre os cinco primeiros. Miyazono amargou um decepcionante 9º lugar, marcando apenas dois pontos.

CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Valerio Gallo Williams_BRacer 24:25.080
2 Giorgio Mangano Williams_Gio +01.316
3 Jose Serrano PR1_JOSETE +01.453
4 Rick Kevelham HRG_RK23 +01.774
5 Andrew Brooks PX7-Deafsun +02.124
6 Coque López Williams_Coque14 +02.597
7 Tomoaki Yamanaka yamado_racing38 +02.825
8 Ryota Kokubun Akagi_1942mi +03.339
9 Takuma Miyazono Kerokkuma_ej20 +03.514
10 Cody Nikola Latkovski Nik_Makozi +03.729
11 Ádám Tápai TRL_ADAM18 +03.831
12 Lucas Bonelli TGT_BONELLI +07.355
13 Adriano Carrazza KoA_Didico15 +07.414
14 Patrik Blazsán Williams_Fuvaros +08.347
15 Baptiste Beauvois PRiMA_TsuTsu +09.125
16 Angel Inostroza YASHEAT_Loyrot +16.900

Corrida 2

Condições adversas aguardavam os pilotos na Corrida 2, conforme a chuva caía na desafiadora Tokyo Expressway - Loop Externo Leste. Por conta da pista escorregadia, os pilotos teriam que usar somente pneus de chuva. Ou seja, os pit stops não seriam necessários na corrida de 13 voltas. O carro selecionado foi o Porsche 911 RSR, e qualquer piloto profissional pode dizer como a combinação de um motor traseira com uma tração traseira pode ser complicada na chuva. O japonês Takuma Miyazono, depois de um decepcionante 9º lugar na primeira corrida, mostrou sua determinação ao marcar o melhor tempo de volta na classificatória, conquistando a pole position. Ao lado dele, na primeira fila, estava o espanhol de 18 anos de idade José Serrano, seguido por Ryota Kokubun (Japão) e pelo húngaro Patrik Blazsán (Williams_Fuvaros).

A ação começou logo na largada, quando Serrano usou o vácuo de Miyazono na reta frontal a 260 km/h para ficar na liderança.

Kokubun, num momento feliz, também ultrapassou, mas Miyazono não deixou barato e retomou o 2º lugar na curva seguinte. Enquanto todos os carros da pista brigavam para ficar na frente, o canadense Andrew Brooks subiu duas posições para ficar em 5º lugar e partiu para cima de Kokubun, que estava em 4º na volta 2. Enquanto isso Miyazono, usando o vácuo de Serrano, retomou a liderança na reta frontal. Conforme os carros passavam pela pista molhada, muitos deles derrapando e batendo nas muretas, Miyazono, Serrano e Blazsán tinham conquistado uma vantagem de 2 segundos em relação aos demais competidores.

Vindo com tudo lá de trás e conquistando o 5º lugar estava o brasileiro Lucas Bonelli (TGT_BONELLI), que havia demonstrado uma velocidade incrível durante o fim de semana. Ele se meteu numa briga frenética entre Kokubun, Brooks e Gallo, que estavam aglomerados entre as posições 4 a 7. O espanhol Coque López entrou na disputa na volta 4, deixando o 11º lugar para tirar a 7º posição de Bonelli.
Nesse momento, a estratégia de Miyazono e Serrano ficou clara: eles estavam trabalhando em equipe, usando o vácuo um do outro nas retas extensas para se afastar dos demais pilotos. Essa colaboração parecia estar funcionando, já que eles estavam com 4,5 segundos de vantagem na volta 7. Enquanto isso, o francês Baptiste Beauvois (PRiMA_TsuTsu) e o chileno Angel Inostroza entraram na briga de Gallo, Bonelli e López.

Na metade da corrida, os primeiros colocados estavam divididos em três grupos: Miyazono e Serrano na frente; Blazsán e Kokubun vários segundos atrás; e Gallo, Brooks, Beauvois, Bonelli e López outros vários segundos atrás destes. A ordem dos carros permaneceu mais ou menos a mesma por algum tempo, enquanto os pilotos lutavam para não derrapar, tomando cuidado para não perder o controle dos Porsches. Mas ainda assim estavam tentando se ultrapassar.

Na volta 11, ficou claro que Miyazono ou Serrano venceriam a corrida, já que estavam com 5 segundos de vantagem em relação ao resto. A antecipação pelo momento em que um atacaria o outro, depois de todo o tempo que passaram cooperando, estava começando a aumentar.

E isso aconteceu no começo da última volta, quando Serrano levou seu Porsche amarelo para o vácuo criado pelo 911 branco de Miyazono e conquistou a liderança. Agora, ele só precisava ficar na frente, mas Miyazono tinha outros planos. Embora o piloto japonês tivesse desafiado o espanhol em várias curvas, ele estava guardando um trunfo para a última curva. Conforme os carros se aproximavam da curva fechada à direita, Miyazono foi para fora da pista, enquanto Serrano tentava manter a própria linha de corrida. Mas aí Miyazono foi para dentro da curva no último momento possível, forçando Serrano a abrir o ângulo na saída.

Essa linha mais rápida fez com que Miyazono saísse na frente. Por mais que Serrano tivesse tentado ir atrás de Miyazono na reta frontal, o piloto japonês conseguiu conter os avanços do espanhol (por pouco), conquistando uma vitória por mero 0,022 segundo. Ainda assim, com o 2º lugar, Serrano estava na liderança da pontuação geral, junto com Miyazono. Às vésperas da última corrida, os dois estavam com 25 pontos.

CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Takuma Miyazono Kerokkuma_ej20 28:54.273
2 Jose Serrano PR1_JOSETE +00.034
3 Patrik Blazsán Williams_Fuvaros +03.072
4 Ryota Kokubun Akagi_1942mi +06.318
5 Andrew Brooks PX7-Deafsun +07.284
6 Coque López Williams_Coque14 +09.294
7 Baptiste Beauvois PRiMA_TsuTsu +09.330
8 Lucas Bonelli TGT_BONELLI +11.046
9 Cody Nikola Latkovski Nik_Makozi +12.241
10 Valerio Gallo Williams_BRacer +12.288
11 Giorgio Mangano Williams_Gio +14.093
12 Angel Inostroza YASHEAT_Loyrot +14.162
13 Tomoaki Yamanaka yamado_racing38 +18.389
14 Ádám Tápai TRL_ADAM18 +19.246
15 Rick Kevelham HRG_RK23 +20.322
16 Adriano Carrazza KoA_Didico15 +20.884

Grand Final

Para quem pensava que a Nations Cup de 2020 estava praticamente decidida após a Corrida 2, bom, era hora de reconsiderar essa ideia. Os dois líderes da tabela, Takuma Miyazono (Japão) e José Serrano (Espanha), tiveram uma classificatória decepcionante no comando do arrojado Mazda RX-Vision GT3 Concept, conseguindo apenas o 7º e o 8º lugar, respectivamente, para a Grande Final. Com os pontos valendo em dobro nessa corrida no lendário circuito de Sarthe, lar das 24 Horas de Le Mans, os pilotos que já haviam perdido as esperanças descobriram que ainda tinham chance de conquistar o título de 2020. Entre eles estava o italiano Valerio Gallo, que marcou um tempo de volta impressionante (3:52.300) para levar a pole position, acompanhado na primeira fila pelo japonês Ryota Kokubun.

Como em todas as Grandes Finais, a estratégia dos boxes seria fundamental, já que os pilotos teriam que correr com pneus suaves, médios e duros por pelo menos uma volta, além de reabastecer quando preciso, porque um tanque só não bastaria para as 10 voltas necessárias no circuito.

Os carros tiveram uma largada parada sem maiores problemas, seguindo para a curva da Dunlop para começar a competição. O campeão regional das Américas, Adriano Carrazza (Brasil), partiu para o corpo a corpo, com a vantagem de estar usando pneus suaves da Michelin, e acabou ultrapassando o 3º colocado, Tomoaki Yamanaka (Japão), e o 2º lugar, Kokubun, enquanto Miyazono ultrapassava Rick Kevelham (HRG_RK23) da Holanda para ficar com o 6º lugar. A ordem dos carros havia se definido na metade da primeira volta, com o líder, Gallo, e o 2º colocado, Carrazza, sendo os únicos com pneus suaves, tentando se distanciar dos demais pilotos.

No começo da volta 2, quem estava com pneus duros entrou nos boxes depois de ter cumprido o requisito. Foi aí que começou a batalha pelo 3º lugar, com Miyazono e o australiano Cody Nikola Latkovski (Nik_Makozi), que sempre está nas cabeças, encostando nas traseiras do italiano Giorgio Mangano e de Kokubun na curva de Indianápolis.

Na reta Mulsanne, com os carros chegando 280 km/h, Latkovski disparou na frente de Kokubun e Mangano, ganhando duas posições de uma tacada só. Miyazono fez algo ainda melhor, ficando na frente de Kokubun, Mangano e Latkovski numa mesma manobra para ficar com o 3º lugar. Na volta seguinte, Gallo, Carrazza e Miyazono entraram nos boxes, com os dois líderes da corrida optando por pneus médios enquanto Miyazono pegava pneus suaves. A corrida agora era liderada por Latkovski, seguido por Mangano e Kokubun, enquanto Gallo, Carrazza e Miyazono voltaram para a pista em 7º, 8º e 9º, respectivamente. Na metade da volta, Latkovski e Mangano trocaram de posição, usando o vácuo um do outro para conquistar uma vantagem de 1,5 segundos.

Na volta 5, tivemos uma disputa acirrada nas posições intermediárias, com o espanhol Coque López ultrapassando dois carros para ficar com o 6º lugar, deixando Kokubun e Kevelham comendo poeira. Enquanto isso, o outro espanhol (e também líder de pontos na tabela), José Serrano, estava em 11º lugar, sem conseguir pegar o ritmo da pista, com o campeonato praticamente perdido naquele momento. Os dois líderes da corrida, Latkovski e Mangano, fizeram os primeiros pit stops, ambos optando por pneus duros, deixando Gallo e Miyazono de novo no topo do placar.

Na volta 6, Kevelham, usando pneus suaves, ultrapassou Latkovski, com pneus duros, para ficar em 4º lugar, mas o caminho ainda era longo até o 3º colocado, Carrazza, que estava 7 segundos à frente do holandês. No começo da volta 7, 11 dos 16 carros entraram nos boxes, mudando de novo a ordem da corrida. Mas os líderes continuaram os mesmos, com Gallo e Miyazono na frente. Foi aí que Miyazono partiu para cima de Gallo em Indianápolis e ultrapassou o italiano numa manobra perfeita. Atrás deles, Carrazza recebeu uma penalidade por ultrapassar as linhas da pista, ficando de fora da disputa e deixando Kokubun, Latkovski, Yamanaka e Mangano para lutar pelo 3º lugar. Apesar de que todos eles estavam com pneus suaves, Miyazono e Gallo já estavam bem afastados nesse momento. A Grande Final era agora um duelo.

Como esperado, Gallo partiu para o ataque em Indianápolis, usando o vácuo de Miyazono e pegando a linha externa da pista para a ultrapassagem.

Miyazono veio logo atrás, procurando uma abertura nas últimas curvas da pista, mas Gallo não deu a menor chance, mantendo a liderança até a linha de chegada. Ele foi seguido por Miyazono, Latkovski e Yamanaka.

A vitória catapultou o italiano para o 2º lugar na tabela de pontos, mas o vencedor da Nations Cup, e do fim de semana inteiro, foi Takuma Miyazono, que conquistou três vitórias nas World Finals de 2020, vencendo a GR Supra GT Cup, a Manufacturer Series e a Nations Cup em três dias de competição. Fechando o pódio do campeonato, havia Gallo e o japonês Ryota Kokubun, que ficou em 3º na tabela, depois de terminar em 5º lugar na Grande Final.

Depois da corrida, Miyazono disse: "Eu achava que não ia ganhar. Estou feliz, mas, quando cruzei a linha de chegada em 2º lugar, não sabia se tinha como vencer o campeonato. Sobre vencer todos os eventos do fim de semana, eu só fui saber dessa conquista agora e mal posso acreditar. Com a vitória em Sydney, eu vim num ritmo bom ao longo do ano, fechando com chave de ouro aqui nas World Finals, mas ainda sinto que tenho que melhorar. Quero voltar ainda mais rápido no ano que vem."

CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Valerio Gallo Williams_BRacer 40:10.038
2 Takuma Miyazono Kerokkuma_ej20 +00.622
3 Cody Nikola Latkovski Nik_Makozi +05.280
4 Tomoaki Yamanaka yamado_racing38 +06.164
5 Ryota Kokubun Akagi_1942mi +07.453
6 Lucas Bonelli TGT_BONELLI +07.590
7 Giorgio Mangano Williams_Gio +07.733
8 Andrew Brooks PX7-Deafsun +08.418
9 Adriano Carrazza KoA_Didico15 +08.561
10 Ádám Tápai TRL_ADAM18 +09.471
11 Angel Inostroza YASHEAT_Loyrot +09.812
12 Jose Serrano PR1_JOSETE +09.972
13 Patrik Blazsán Williams_Fuvaros +14.070
14 Rick Kevelham HRG_RK23 +14.428
15 Coque López Williams_Coque14 +20.345
16 Baptiste Beauvois PRiMA_TsuTsu DNS

Série de 2020 | Nations Cup | World Finals | Resultados

CLASSIFICAÇÃO PILOTO Pontos da World Tour CORRIDA 1 CORRIDA 2 GRANDE FINAL TOTAL DE PONTOS
1 Takuma Miyazono Kerokkuma_ej20 11 2 12 20 45
2 Valerio Gallo Williams_BRacer 5 12 1 24 42
3 Ryota Kokubun Akagi_1942mi 7 3 7 12 29
4 Cody Nikola Latkovski Nik_Makozi 7 1 2 16 26
5 Jose Serrano PR1_JOSETE 7 8 10 0 25
6 Tomoaki Yamanaka yamado_racing38 6 4 0 14 24
7 Andrew Brooks PX7-Deafsun 6 6 6 6 24
8 Giorgio Mangano Williams_Gio 1 10 0 8 19
9 Lucas Bonelli TGT_BONELLI 5 0 3 10 18
10 Coque López Williams_Coque14 8 5 5 0 18
11 Adriano Carrazza KoA_Didico15 8 0 0 4 12
12 Patrik Blazsán Williams_Fuvaros 3 0 8 0 11
13 Baptiste Beauvois PRiMA_TsuTsu 6 0 4 0 10
14 Rick Kevelham HRG_RK23 2 7 0 0 9
15 Angel Inostroza YASHEAT_Loyrot 7 0 0 0 7
16 Ádám Tápai TRL_ADAM18 4 0 0 2 6
FIA GT Championships 2020 | Nations Cup | World Finals | Final
Veja a decisão do campeão da 3ª Nations Cup após uma das sér...

Voltar para a lista