GT

Please select your country / region

Close Window
Comunidade do GT SPORT
BR
TopoLeia os relatóriosNations CupManufacturer SeriesCalendárioArquivos

Voltar para a lista

NATIONS CUP
Corridas emocionantes e uma final imprevisível no primeiro dia de competição
Finais Regionais (EMEA) - Série de 2020 da Nations Cup
22/11/2020

A pandemia teve um efeito profundo no planeta este ano. Mesmo ainda enfrentando as adversidades causadas por ela, vários eventos esportivos pelo mundo inteiro voltaram a ser realizados (só que sem público presente). Foi o que aconteceu com os FIA Gran Turismo Championships, que começaram neste mês, com todos os competidores participando remotamente por vídeo. E descobrimos que, mesmo sem a vibração da torcida das edições passadas, as corridas até agora não ficaram devendo em nada em matéria de intensidade e emoção.

Para este ano, o formato da competição foi levemente alterado. Com três regiões principais — Américas, Ásia e Oceania e EMEA (Europa, Oriente Médio e África) —, cada uma contando com os 12 pilotos de melhor classificação mais quatro jogadores que ganharam vaga por meio da Etapa Extra, num total de 16 competidores. Três corridas serão disputadas, com os oito primeiros colocados da região da EMEA avançando para as World Finals. (Atenção: somente os quatro melhores pilotos das Américas serão classificados. A região da Ásia e Oceania terá três pilotos classificados mais o atual campeão Takuma Miyazono que já tem uma vaga garantida por ter vencido a competição do ano passado). Os grids de largada de todas as corridas serão determinados por uma rodada classificatória de 10 minutos, com pontos concedidos para os 10 primeiros colocados de cada corrida. Então, sem mais delongas, vamos para a pista!

Corrida 1

O local da primeira corrida da Série de 2020 foi o acelerado Autódromo Lago Maggiore, com os jogadores pilotando veículos da categoria Gr.3 durante sete voltas. Todos os carros começaram com pneus duros (a corrida não permitia trocas de pneus nem paradas para reabastecer). O italiano Valerio Gallo (Williams_BRacer), pilotando um Honda NSX, ficou na pole position, enquanto Baptiste Beauvois (PRIMA_Tsu Tsu), da França, no comando de um McLaren 650S, ficou em 2º lugar. O espanhol José Serrano (PR1_JOSETE) largou em 3º com seu Audi LMS. O holandês Rick Kevelham (HRG_RIK23), com um Renault Sport R.S. 01, ficou em 4º. Acabou sendo uma largada acirrada, com os 15 melhores pilotos classificando-se com apenas segundos de distância entre si.

O formato de largada em movimento permitiu que os pilotos começassem a corrida sem nenhum acidente, cruzando a primeira curva em fila. Nesse primeiro momento, não houve nenhuma manobra ou tentativa de ultrapassagem agressiva, porque sem dúvida todos estavam esperando os pneus aquecerem antes de partirem para o ataque. Sentindo que os Michelins estavam prontos para serem usados no final da volta 1, Coque López, da Espanha, decidiu fazer a primeira manobra ousada do dia. Ele levou o Peugeot RCZ para a lateral do Renault de Kevelham, buscando uma forma de ultrapassá-lo, mas o holandês defendeu a posição de maneira brilhante. Ainda assim, López não se deu por vencido, ultrapassando Kevelham na curva 1 da volta seguinte, ficando com o 4º lugar. Em seguida, o italiano Giorgio Mangano (Williams_Gio) partiu para cima de Kevelham, que acabou perdendo o embalo, talvez sentindo a pressão do momento.

Enquanto o 4º e o 6º colocado lutavam entre si, os primeiros três carros (pilotados por Gallo, Beauvois e Serrano) pouco a pouco deixavam para trás os demais competidores. Na metade da corrida, a liderança da corrida estava com Gallo, Beauvois, Serrano, López e Kevelham. A coisa ficou interessante na volta 5, quando o Porsche 911 RSR de Mangano ultrapassou o Renault de Kevelham para ficar com 5º lugar. Então, com os carros atingindo 245 km/h na reta principal, uma disputa surgiu no meio da competição, entre o finlandês Marcus Kononen (maatu79), o húngaro Adam Tapai (TRL_ADAM18), o sueco Christian Malki (PR1_FIRE) e o tcheco Nikita Moysov (ERM_Nick).

Na volta 6, Moysov, pilotando um Ford GT, ficou colado na traseira do Citroën GT de Tapai, mas o húngaro conseguiu se defender de maneira espetacular e manteve a posição. Enquanto isso, Gallo e Beauvois tinham conquistado uma vantagem considerável e cruzaram a linha de chegada em 1º e 2º lugar, com os espanhóis Serrano e López em 3º e 4º.

CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Valerio Gallo Williams_BRacer 13:44:352
2 Baptiste Beauvois PRiMA_TsuTsu +01.342
3 Jose Serrano PR1_JOSETE +04.808
4 Coque López Williams_Coque14 +05.795
5 Giorgio Mangano Williams_Gio +06.261
6 Rick Kevelham HRG_RK23 +08.465
7 Markus Kononen maatu79 +08.924
8 Ádám Tápai TRL_ADAM18 +10.296
9 Nikita Moysov ERM_Nick +10.673
10 Christian Malki PR1_Fire +12.037
11 Adam Suswillo Williams_Adam41 +12.733
12 Manuel Rodríguez TRL_MANURODRY +15.914
13 Patrik Blazsán Williams_Fuvaros +16.303
14 Salvatore Maraglino PR1_PIRATA666 +16.315
15 Carlos Salazar pcm_stj +19.228
16 Marcin Świderek SRC_SVDR +19.787

Corrida 2

Diferente do formato tradicional, a ordem do grid não foi determinada pela ordem de chegada da corrida anterior, e sim por outra sessão classificatória de 10 minutos. Ou seja, quem teve um desempenho aquém do esperado na corrida 1 ainda tinha a chance de ficar nas primeiras posições na corrida 2, uma disputa de 10 voltas em torno do Autodromo Nazionale Monza (sem chicanes) em carros da categoria Gr.1. Mas tudo isso não afetou muito o desempenho de Valerio Gallo (Itália), que conquistou a segunda pole position do dia com seu Peugeot 908. Atrás dele vinham José Serrano, da Espanha, e o francês Baptiste Beauvois.

Equipados com Michelins de composto duro, os carros cruzaram a linha de largada em fila, quando o Audi R18 Hybrid de Serrano disparou e deixou o Peugeot de Gallo para trás, conquistando a liderança assim que a bandeira verde desceu. Com os carros atingindo 310 km/h na reta principal, Coque López, da Espanha, num Jaguar XJR09 rapidamente conquistou duas posições para ficar com o 5º lugar, deixando para trás Nikita Moysov (República Tcheca) e Marcin Świderek (Polônia).

No começo da volta 2, Gallo reconquistou a liderança de Serrano, dando o recado de que ele era o piloto a ser vencido naquele dia. Na volta 3, Salvatore Maraglino, da Itália, começou a partir para cima dos competidores, deixando o 11º lugar para subir até o 6º, ultrapassando o McLaren VGT de Świderek no processo, mas o polonês não deixou barato e reconquistou o 6º lugar das mãos do italiano na extensa Curva Grande.

As disputas foram acirradas na volta 4 entre os primeiros colocados, com Beauvois ultrapassando Serrano para ficar com o 2º lugar, mas eles já estavam 2 segundos atrás do líder Gallo, totalmente em sincronia com o Peugeot de corrida. Diferente dele, Serrano parecia estar sofrendo problemas de aderência com o Audi Hybrid, perdendo mais uma posição quando o húngaro Adam Tapai o ultrapassou. Foi uma manobra surreal, com os quatro rotores do Mazda 787B de 1991 deixando para trás o Audi R18 Hybrid de 2012. Uma disputa entre carros com mais de 20 anos de diferença. Só no mundo do Gran Turismo!

Na metade da corrida, a ordem era: Gallo, Beauvois, Tapai e López, que acabar de ultrapassar Serrano, seguido pela dupla italiana Giorgio Mangano, num Nissan R92, e Salvatore Maraglino (PR1_PIRATA666), no comando de um Peugeot L750R Hybrid.

Na volta 7 e 8, não houve nenhum momento muito dramático, com os pilotos entrando num ritmo mais tranquilo, com a exceção de Świderek, que despencou para o 11º depois de largar em 5º lugar. Mas o nome da corrida era certamente Gallo, que aumentou a liderança para mais de 3,5 segundos em relação ao 2º lugar, Beauvois. Enquanto isso, Serrano foi para cima do conterrâneo pelo 4º lugar. Mas, no fim, o Audi não tinha a potência necessária nas retas para ultrapassar o Jaguar de López.

A corrida terminou com Gallo cruzando a linha de chegada em primeiro pela segunda vez no dia, ganhando mais 12 pontos para dominar o placar com 24 pontos no total às vésperas da Grande Final. Beauvois também teve um bom desempenho, com Tapai, López e Serrano fechando os cinco primeiros colocados.

CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Valerio Gallo Williams_BRacer 14:08.687
2 Baptiste Beauvois PRiMA_TsuTsu +04.026
3 Ádám Tápai TRL_ADAM18 +05.995
4 Coque López Williams_Coque14 +07.775
5 Jose Serrano PR1_JOSETE +08.107
6 Giorgio Mangano Williams_Gio +10.522
7 Salvatore Maraglino PR1_PIRATA666 +10.540
8 Nikita Moysov ERM_Nick +11.785
9 Patrik Blazsán Williams_Fuvaros +13.209
10 Adam Suswillo Williams_Adam41 +14.808
11 Marcin Świderek SRC_SVDR +15.166
12 Manuel Rodríguez TRL_MANURODRY +18.179
13 Rick Kevelham HRG_RK23 +18.757
14 Markus Kononen maatu79 +19.187
15 Carlos Salazar pcm_stj +20.373
16 Christian Malki PR1_Fire +21.718

Grande Final

Com o grid definido para a Grande Final, uma corrida de 20 voltas no lendário Circuit de Spa-Francorchamps, os jogadores apertaram os cintos (virtualmente) do veloz Red Bull X2019 Competition, com o requisito de usar todos os três compostos de pneu (suave, médio, duro) por no mínimo uma volta. Ou seja, a corrida poderia ser decidida na base da estratégia dos pit stops. Além disso, como a Grande Final concedia o dobro de pontos, o campeonato poderia ser vencido por quase qualquer piloto se os líderes do placar, Valerio Gallo (Itália) e Baptiste Beauvois (França), tivessem problemas.

Mesmo antes da corrida começar, nós já sabíamos que a final seria imprevisível, porque Gallo não se classificou bem e teve que largar na 10º posição do grid da corrida. As chances agora estavam bastante a favor de Beauvois, que podia virar o jogo já que largaria na pole, com o espanhol José Serrano em 2º lugar e Adam Suswillo (Reino Unido), que não teve um bom desempenho nas duas primeiras corridas, em 3º.

Serrano, Rick Kevelham (Holanda), que largou em 4º e Coque López (Espanha), que largou em 5º, começaram com pneus macios, na esperança de abrir uma boa vantagem em relação a Beauvois e Suswillo, que estavam usando pneus médios.

Assim que a corrida começou, Serrano partiu para cima da competição, ultrapassando Beauvois na Raidillon (curva 3), enquanto López tomou o 4º lugar de Kevelham e depois o 3º lugar de Suswillo. No final da volta 1, os pilotos, que estavam usando pneus duros, Gallo incluso, entraram nos boxes para cumprir o requisito. Quando Gallo voltou para a pista, já havia uma diferença de 11 segundos em relação ao carro da frente. Ele tinha um caminho aberto pela frente. Enquanto isso, López ultrapassou Beauvois na surdina para ficar com o 2º lugar. A situação ficou ainda pior para o francês quando ele perdeu o controle do Red Bull X2019 ao sair de Les Combs (curva 9), bateu na mureta e caiu para o 7º lugar num piscar de olhos, bem na frente de Gallo, que estava em 8º e provavelmente não acreditava no que estava vendo. Mas o italiano recebeu uma penalidade 1 segundo, o que devolveu a vantagem para Beauvois na corrida pelo campeonato.

Na volta 6, López tirou a liderança das mãos de Serrano, numa ultrapassagem na reta Kemmel a 315 km/h, antes de entrar nos boxes para trocar de pneus de novo e devolver a liderança para o conterrâneo. Kevelham, o holandês voador, estava com pneus suaves e partiu para o ataque, conquistando o 2º lugar, ultrapassando Serrano e ficando logo atrás do líder López. Serrano também foi ultrapassado por italiano Giorgio Mangano, que deixou o 7º lugar para chegar ao 3º.
Na metade da corrida, a ordem era: López, Kevelham, Mangano e Serrano, com Gallo em 7º e Beauvois lá atrás, em 11º. Na volta 12, López já havia aberto uma vantagem de 5 segundos na liderança. Com Gallo em 7º lugar, uma vitória de López significaria que o espanhol ganharia o campeonato, mas ele ainda tinha uma volta com pneus médios e duros. Quando López entrou nos boxes para reabastecer e trocar os pneus, ele decidiu usar pneus suaves. Era uma estratégia bastante incomum, com quatro paradas. Muitos pensaram que ele estava sendo temerário, já que todos os outros pilotos usaram três paradas.

Na volta 14, Patrik Blazán (Hungria) ultrapassou Serrano para ficar com o 4º lugar, enquanto López conquistou uma liderança de 14 segundos, tentando ter a folga necessária para fazer mais dois pit stops. Quando decidiu entrar nos boxes na volta 18, ele já tinha uma vantagem de 19 segundos, o que, num cálculo simples, já bastaria para manter a liderança por mais dois pit stops... mas não muito mais que isso. Enquanto isso, Beauvois ainda não havia se entregado e conseguiu subir para o 8º lugar.
López fez um pit stop para colocar pneus médios, seguido por uma última parada para usar os pneus duros, conforme os requisitos da corrida. Ele voltou para a pista na frente de Kevelham e de Blazán, que vinha em 3º, para dar a volta final. Foi então que Blazán ultrapassou Kevelham para ficar com 2º lugar, mas a corrida já estava definida. Coque López, numa estratégia ousada, fez o que ninguém imaginou: não só venceu a corrida como tirou o campeonato das mãos de Gallo. Ele terminou com 38 pontos no placar, ficando na frente de Gallo, que terminou a corrida em 7º, por oito pontos.

CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Coque López Williams_Coque14 39:16.154
2 Patrik Blazsán Williams_Fuvaros +02.489
3 Jose Serrano PR1_JOSETE +04.461
4 Rick Kevelham HRG_RK23 +04.866
5 Ádám Tápai TRL_ADAM18 +10.759
6 Salvatore Maraglino PR1_PIRATA666 +14.343
7 Baptiste Beauvois PRiMA_TsuTsu +14.956
8 Giorgio Mangano Williams_Gio +16.997
9 Manuel Rodríguez TRL_MANURODRY +17.057
10 Adam Suswillo Williams_Adam41 +18.205
11 Nikita Moysov ERM_Nick +20.497
12 Markus Kononen maatu79 +23.396
13 Valerio Gallo Williams_BRacer +23.492
14 Christian Malki PR1_Fire +26.160
15 Marcin Świderek SRC_SVDR +31.157
16 Carlos Salazar pcm_stj +31.684

É uma sensação incrível", disse o novo campeão da EMEA, Coque López. "Eu sabia que precisava vencer essa corrida e ter muita sorte para que Valerio ficasse de fora do pódio. Eu fico triste por ele, mas feliz por ter vencido. Quanto à estratégia dos pit stops, quando eu estava na liderança e fiquei na frente por mais tempo que o necessário para fazer um pit stop, decidi fazer quatro e não três paradas para passar mais tempo com os pneus suaves.

Resultados das Finais Regionais - Série de 2020 da Nations Cup

CLASSIFICAÇÃO PILOTO CORRIDA 1 CORRIDA 2 GRANDE FINAL TOTAL DE PONTOS
1 Coque López Williams_Coque14 7 7 24 38
2 Jose Serrano PR1_JOSETE 8 6 16 30
3 Baptiste Beauvois PRiMA_TsuTsu 10 10 8 28
4 Valerio Gallo Williams_BRacer 12 12 0 24
5 Ádám Tápai TRL_ADAM18 3 8 12 23
6 Patrik Blazsán Williams_Fuvaros 0 2 20 22
7 Rick Kevelham HRG_RK23 5 0 14 19
8 Giorgio Mangano Williams_Gio 6 5 6 17
9 Salvatore Maraglino PR1_PIRATA666 0 4 10 14
10 Nikita Moysov ERM_Nick 2 3 0 5
11 Markus Kononen maatu79 4 0 0 4
11 Manuel Rodríguez TRL_MANURODRY 0 0 4 4
13 Adam Suswillo Williams_Adam41 0 1 2 3
14 Christian Malki PR1_Fire 1 0 0 1
15 Carlos Salazar pcm_stj 0 0 0 0
15 Marcin Świderek SRC_SVDR 0 0 0 0
FIA GT Championships 2020 | Nations Cup | Finais Regionais | Região da EMEA
Veteranos calejados ou novatos? Quais serão os 8 pilotos que...

Voltar para a lista