GT

Please select your country / region

Close Window
Comunidade GT SPORT
PT
TopoRelatórios em DiretoNations CupManufacturer SeriesCalendárioArquivos

Regressar à Lista

NATIONS CUP
Mikail Hizal (Alemanha) alcança finalmente uma vitória no World Tour 2019 - Red Bull Hangar-7
17/09/2019

Salzburgo, ÁUSTRIA (14 de setembro de 2019) – Após um arranque fulgurante com a Manufacturer Series no dia anterior, o World Tour - Red Bull Hangar-7 chegou hoje ao fim com a Nations Cup, onde 24 dos melhores jogadores do mundo competiram por um lugar na Final Mundial do Mónaco, a decorrer entre 23 e 24 de novembro. Com um cenário espetacular dominado pelos aviões exóticos e máquinas de Fórmula 1 do Hangar-7 da Red Bull, os pilotos cedo deitaram mãos ao trabalho com uma sessão de qualificação geral, seguida pela Qualificação do Top 6, duas meias-finais, uma ronda de repescagem e a Grande Final da Nations Cup. Feitas as contas, foi o alemão Mikail Hizal quem subiu ao primeiro lugar do pódio, alcançando assim uma vitória que lhe vinha fugindo ao longo de toda a época.

A Mercedes-Benz é a grande vencedora no World Tour 2019 - Red Bull Hangar-7
Quarta ronda dos World Tours da Série de 2019 dos FIA Certif...

Meia-final do Grupo A

Tal como de costume, a ordem de partida para as corridas das meias-finais foi determinada pelos melhores tempos alcançados na sessão de Qualificação e na Qualificação do Top 6, que teve lugar no circuito Autodromo Nazionale Monza. A volta mais rápida do dia foi para Takuma Miyazono (Japão), que garantiu a pole position para a Meia-final B, seguido por Mikail Hizal (Alemanha), que recebeu a pole position na Meia-final A.

A Meia-final A assumiu a forma de um sprint de 12 voltas no Circuit de Barcelona-Catalunya ao volante do Bugatti Vision Gran Turismo Gr.1, e onde todos os jogadores teriam de utilizar pneus Michelin suaves e médios, o que implicava pelo menos uma visita às boxes. Os quatro primeiros classificados avançariam para a final que teria lugar ao fim do dia, enquanto que os pilotos entre a quinta e a décima posição receberiam uma segunda oportunidade de qualificação na ronda de repescagem. Quanto aos dois últimos classificados, seria "auf weidersehn".

Logo no arranque, o australiano Cody Nikola Latkovski, que partiu da segunda posição, começou a pressionar Hizal, na tentativa de ganhar posição na primeira curva, e assim o fez, mas Hizal, que estava a conduzir com um dedo do pé partido, manteve a compostura e a linha de corrida e recuperou a liderança de imediato. Pouco depois, foi a vez de Latkovski sentir a pressão por parte do brasileiro Adriano Carrazza, que se colou ao australiano na curva 12 e lhe roubou o segundo lugar. Contudo, os comissários da prova decidiram que Carrazza tinha atingido Latkovski de forma intencional e atribuíram uma penalização de um segundo ao brasileiro, o que o levou a devolver a posição conquistada. As próximas cinco voltas foram tranquilas, sem alterações de posição, com um top quatro composto por Hizal, Latkovski, Carrazza e Baptiste Beauvois (França), todos com pneus suaves.

Na quinta volta, os pilotos que arrancaram com pneus médios encostaram às boxes para a instalação dos pneus suaves, incluindo Jonathan Wong e Kin Long Li de Hong Kong, Ryota Kokubun do Japão e Nicolás Rubilar e Fabian Portilla do Chile. Mas já era tarde demais, com Hizal a gerir uma liderança de cinco segundos na prova.

Wong, que tinha arrancado em sexto, executou uma excelente manobra para retirar a cobiçada quarta posição das mãos de Beauvois e começou a pressionar Carrazza em terceiro, que seguia com pneus médios, mas o brasileiro estava decidido a defender a sua posição. Latkovski encostou às boxes na sétima volta, após "espremer" ao máximo os seus Michelins suaves, mas não conseguiu roubar a liderança a Hizal, que foi o primeiro a ver a bandeira axadrezada. Hizal cruzou a meta cinco segundos à frente de Latkovski, enquanto que Carrazza e Wong, que chegaram em terceiro e quarto lugar respetivamente, completaram o top quatro com passagem automática para a final.

CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Mikail Hizal TRL_LIGHTNING 18:47.595
2 Cody Nikola Latkovski Nik_Makozi +05.193
3 Adriano Carrazza UDI_Didico15 +09.902
4 Jonathan Wong CAR_Saika +11.077
5 Baptiste Beauvois TRL_TSUTSU +13.015
6 Kin Long Li KarS_0627 +15.161
7 Ryota Kokubun Akagi_1942mi +16.768
8 Nicolás Rubilar FT_NicoR +18.494
9 Fabian Portilla CAR_McQueen +18.701
10 Ádám Tápai TRL_ADAM18 +20.029
11 Rick Kevelham rick-918-bmx +24.595
12 Daniel Solis CAR_Lamb +29.476

Meia-final do Grupo B

Com o favorito, Mikail Hizal, tendo já garantido o seu lugar na final, cabia agora ao piloto mais rápido da qualificação, Takuma Miyazono, exibir as suas capacidades na segunda Meia-final, um sprint de nove voltas no Pagani Zonda R em torno do Tokyo Expressway - Loop Externo Este. A organização decidiu tornar a prova ainda mais interessante ao levar os participantes a disputarem a corrida com o piso extremamente molhado.

As peripécias começaram logo no arranque, com Miyazono, Derrouiche e Suswillo a irromperem em direção à curva um, com os três pilotos a seguirem mesmo lado a lado a certa altura. Derrouiche saiu por cima e roubou a liderança a Miyazono, mas o piloto japonês conseguiu recuperá-la na curva três. Seguiram-se momentos dramáticos com vários carros a rasparem entre si e nas barreiras, fazendo voar faíscas. Mas depois de uma primeira volta tão intensa, as posições na frente permaneceram inalteradas: Miyazono, Derrouiche, Suswillo e Andrew Brooks (Canadá).

No início da segunda volta, Miyazono cometeu um erro muito pouco característico e entrou demasiado largo na curva um, o que lhe valeu uma queda para a terceira posição, atrás de Derrouiche e Suswillo. Na volta seguinte, Suswillo roubou a liderança a Derrouiche. Miyazono também ultrapassou o francês e tentou depois recuperar a liderança das mãos de Suswillo. Entretanto, o italiano Salvatore Maraglino foi subindo do oitavo para o quinto posto, ficando a apenas uma posição de uma passagem automática para a final.

Na quarta volta, Miyazono usou o cone de aspiração de Suswillo na reta final para recuperar a liderança, enquanto Derrouiche e Brooks mantinham a terceira e a quarta posição. Duas voltas depois, Suswillo voltou a ser ultrapassado, desta vez por Derrouiche, que aproveitou também o cone de aspiração para levar a cabo uma excelente ultrapassagem na reta final para subir à segunda posição.

Miyazono foi acumulando uma vantagem acima dos dois segundos ao longo de duas voltas e deu-se um confronto intenso entre os pilotos da segunda à sexta posição, nomeadamente Suswillo, Derrouiche, Brooks, Maraglino e Coque López (Espanha). Na sétima volta, Derrouiche cometeu um erro grave na curva um, permitindo que Brooks o ultrapassasse. O francês não conseguiu recuperar e voltou a cometer um erro na curva seguinte, o que levou a que Suswillo lhe passasse à frente. Na volta seguinte, foi López quem levou a melhor sobre o francês, que deixou assim escapar a importante quarta posição.

No final da prova, Miyazono foi o primeiro a cruzar a meta seguido por Brooks, Suswillo e López. Todos eles receberam um bilhete para a final. Quanto a Derrouiche, terá outra oportunidade para se qualificar e compensar os seus erros na ronda de repescagem.

CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Takuma Miyazono Kerokkuma_ej20 19:12.979
2 Andrew Brooks Turismo-Deafsun +02.596
3 Adam Suswillo Williams_Adam41 +03.210
4 Coque López Williams_Coque14 +04.109
5 Rayan Derrouiche RC_Miura +04.768
6 Salvatore Maraglino JIM_Pirata666_ +05.034
7 Giorgio Mangano Williams_Gio +08.103
8 Adam Wilk Adam_2167 +08.156
9 Mark Pinnel Turismo-lester +18.449
10 Manuel Rodríguez TRL_MANURODRY +18.533
11 Patrik Blazsán Williams_Fuvaros +19.214
12 Markus Könönen maatu79 +21.935

Repescagem

Apesar das rondas de Repescagem serem conhecidas pela sua intensidade, esta prova em particular (uma corrida de 10 voltas no circuito de todo-o-terreno de Sardegna com carros do Gr.B) foi bastante pacífica. Os quatro primeiros pilotos da grelha de partida mantiveram as suas posições ao longo da prova, com o francês Baptiste Beauvois a manter a liderança desde a pole position até à bandeira axadrezada, fruto de uma excelente prestação ao volante do seu Subaru WRX Rally Car numa pista de terra escorregadia e em ambiente noturno. O seu compatriota Rayan Derrouiche também protagonizou uma prova de luxo, levando o Mitsubishi Lancer Evolution Final à segunda posição. Kin Long Li, de Hong Kong, ao volante de um Nissan GT-R Rally Car, e o italiano Salvatore Maraglino, com um Honda NSX Rally Car, mantiveram-se firmes na terceira e na quarta posição, acumulando uma vantagem acima dos 10 segundos sobre os restantes participantes e avançando assim para a final.

CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Baptiste Beauvois TRL_TSUTSU 13:08.612
2 Rayan Derrouiche RC_Miura +02.400
3 Kin Long Li KarS_0627 +02.871
4 Salvatore Maraglino JIM_Pirata666_ +03.609
5 Giorgio Mangano Williams_Gio +12.927
6 Nicolás Rubilar FT_NicoR +15.636
7 Ryota Kokubun Akagi_1942mi +19.492
8 Adam Wilk Adam_2167 +19.918
9 Ádám Tápai TRL_ADAM18 +31.164
10 Manuel Rodríguez TRL_MANURODRY +31.830
11 Mark Pinnel Turismo-lester +32.603
12 Fabian Portilla CAR_McQueen +35.797

Final

Depois de serem contabilizados os resultados das corridas anteriores, foi Mikail Hizal (TRL_LIGHTNING) quem se sentou na pole position para a final da Nations Cup, uma corrida de 20 voltas no Autodromo Nazionale Monza, com Takuma Miyazono (Kerokkuma_ej20) ao seu lado. Os pilotos, ao volante do Red Bull X2019 Competition, teriam de utilizar os três compostos de pneus Michelin (suaves, médios e duros), o que implicava pelo menos duas visitas às boxes.

No arranque, os três pilotos na frente, Hizal, Miyazono e Cody Nikola Latkovski, apresentaram pneus suaves, com praticamente todos os restantes a optarem pela borracha dura. Miyazono tentou ultrapassar Hizal na primeira curva, mas ao fazê-lo saiu ligeiramente de pista, o que permitiu ao alemão prolongar a liderança para mais de um segundo a meio da primeira volta.

No início da segunda volta, praticamente todos os carros com os pneus duros entraram nas boxes para trocar para os médios, após cumprirem parte do requisito de conduzir uma volta com cada um dos três tipos de pneus. Com pneus médios dotados de uma melhor tração, Coque López (Williams_Coque14) começou a executar a sua estratégia e ultrapassou Adriano Carrazza (UDI_Didico15) na reta da meta para subir ao quinto lugar. Andrew Brooks (Turismo-Deafsun), também com pneus médios, executou uma ultrapassagem brilhante sobre Salvatore Maraglino (JIM_Pirata666_) após ascender da 12ª posição.

Na oitava volta, Latkovski, em terceiro lugar, entrou nas boxes para trocar os pneus suaves por duros, regressando à pista sem sacrificar a sua posição. Mas Latkovski tinha permitido que Adam Suswillo (Williams_Adam41), equipado com pneus Michelin médios mais rápidos, diminuísse a desvantagem, e durante as próximas voltas sentiu dificuldades em manter o piloto britânico afastado.

Os líderes da corrida, Hizal e Miyazono, fizeram a sua primeira paragem nas boxes na volta nove, trocando os pneus suaves por médios, mas ao contrário de Hizal, Miyazono decidiu não reabastecer, o que lhe permitiu sair mais rapidamente das boxes e subir à liderança. Com metade da corrida disputada, Miyazono e Hizal seguiam em primeiro e segundo, nove segundos à frente de Latkovski, em terceiro.

Na volta 12, Latkovski, ainda em terceiro e recorrendo a uma estratégia de três visitas às boxes, fez a sua terceira paragem para instalar os pneus suaves. Apesar de ter regressado à pista em sexto, recuperou o terceiro lugar na volta 14, quando Brooks e Maraglino encostaram às boxes. Entretanto, os líderes Miyazono e Hizal tinham acumulado uma vantagem de 30 segundos em relação aos restantes participantes, mas ainda necessitavam de completar uma etapa com os pneus duros.

Foi na volta 15 que se registou o único grande acidente da corrida, quando Derrouiche e Wong entraram em contacto numa disputa pelo quinto posto, o que levou Wong a sair de pista. Isto fez com que Brooks perdesse o controlo sobre o seu Red Bull X2019 e entrasse em pião, o que basicamente o retirou da prova.

Mais à frente, Miyazono fez a sua última paragem nas boxes para instalar os pneus duros e reabastecer. Frio e calculista, Hizal decidiu manter-se em pista durante mais duas voltas, acumulando uma vantagem confortável da qual não largou mão mesmo após a sua última paragem nas boxes, na volta 18. Após regressar à pista no final da última visita às boxes, Hizal seguia quase sete segundos à frente de Miyazono, o que foi mais que suficiente para entregar ao alemão a sua primeira vitória na Série e um bilhete para a Final Mundial. E tudo isto com um dedo do pé partido...


CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Mikail Hizal TRL_LIGHTNING 30:58.581
2 Takuma Miyazono Kerokkuma_ej20 +04.732
3 Cody Nikola Latkovski Nik_Makozi +06.845
4 Adam Suswillo Williams_Adam41 +13.430
5 Coque López Williams_Coque14 +13.978
6 Salvatore Maraglino JIM_Pirata666_ +18.788
7 Jonathan Wong CAR_Saika +20.942
8 Baptiste Beauvois TRL_TSUTSU +21.868
9 Adriano Carrazza UDI_Didico15 +24.274
10 Kin Long Li KarS_0627 +29.380
11 Andrew Brooks Turismo-Deafsun +29.939
12 Rayan Derrouiche RC_Miura +33.812

Quanto a Miyazono, que protagonizou mais uma excelente prestação digna do seu primeiro pódio na Série, ainda tem hipótese de se qualificar para a Final Mundial. O último evento da Série decorrerá no seu país natal, o Japão. A última posição do pódio foi para Latkovski, que se tornou um piloto de respeito tanto na Nations Cup como na Manufacturer Series.

“Depois de terminar em segundo lugar tantas vezes, queremos sempre ir mais longe, e finalmente, com esta vitória, sinto-me satisfeito e aliviado ao mesmo tempo. Quanto ao dedo do pé partido, sentia alguma dor ao usar os pedais, mas mantive a pressão sobre a base do calcanhar, por isso foi suportável. Na final, estava a tentar poupar combustível porque o reabastecimento é obrigatório e a estratégia acabou por compensar,” disse Hizal após a corrida. O alemão juntou à vitória o prémio de "Piloto do Dia da Michelin" através de uma votação nas redes sociais do Gran Turismo.

Regressar à Lista