GT

Please select your country / region

Close Window
Comunidade GT SPORT
PT
TopoRelatórios em DiretoNations CupManufacturer SeriesCalendárioArquivos

Regressar à Lista

MANUFACTURER SERIES
A Mercedes-Benz é a grande vencedora no World Tour 2019 - Red Bull Hangar-7
17/09/2019

Salzburgo, ÁUSTRIA (13 de setembro de 2019) – A quarta ronda da Série de 2019 dos FIA Gran Turismo Championships arrancou no espetacular Hangar-7 da Red Bull com um pano de fundo dominado por aviões e carros de corrida exóticos. O primeiro dia foi dominado pela Manufacturer Series, onde 36 pilotos de todo o mundo formaram 12 equipas, cada uma delas em representação de um fabricante. No final, foi a Mercedes-Benz quem reinou suprema em Salzburgo, recebendo o seu segundo título consecutivo para a Série de 2019.

World Tour 2019 | Red Bull Hangar-7 | Manufacturer Series
Ver na secção "Gran Turismo LIVE"

A Manufacturer Series adotou um novo formato para o Red Bull Hangar-7, com apenas duas corridas: a Corrida 1 e a Grande Final, sendo atribuídos pontos a dobrar na corrida final. Cada corrida necessitava da participação dos três pilotos e da utilização dos três tipos de pneus diferentes (suaves, médios e duros) pelo menos durante uma volta cada, exceto em piso molhado, em que as equipas utilizaram pneus de chuva.

Corrida 1

Com a grelha de partida a ser determinada pela sessão de qualificação, seguida pela Qualificação do Top 6, foi o Audi R8 LMS com Martin Grady (Reino Unido) atrás do volante a ocupar a pole position, com o Porsche 911 RSR e Tatsuya Sugawara (Japão) no segundo posto e Lewis Bentley (Reino Unido) a conduzir o Peugeot RCZ Gr. 3 a terminar o top três. A prova era uma corrida de 17 voltas em torno do desafiante Red Bull Ring com piso extremamente molhado.

A corrida teve início sem incidentes depois dos 12 carros terem contornado a primeira curva na sequência de um arranque em movimento. A seleção de pneus não fazia parte da estratégia para esta prova, já que todas as equipas utilizariam pneus de chuva durante toda a corrida. As posições dos pilotos mantiveram-se consistentes durante as primeiras voltas, com algumas situações mais dramáticas a ocorrerem a meio do pelotão, com os carros de motor dianteiro e tração traseira a sentirem dificuldades na superfície escorregadia da pista.

Na quinta volta, o Mercedes-Benz AMG GT3 começou a encontrar o seu ritmo após perder a quarta posição para o Ford GT de Adam Wilk (Austrália), mas acabou por recuperá-la após uma excelente manobra na curva 4 do piloto Tom Lartilleux (França). Na volta seguinte, a Porsche decidiu entrar nas boxes para colocar um novo conjunto de pneus e com o brasileiro Daniel Carmo a saltar para trás do volante. O 911 regressou à prova na quarta posição, a apenas quatro segundos da liderança.

Com o Audi R8 LMS a manter a sua vantagem sobre o Peugeot RCZ e o Mercedes-Benz AMG GT3 na primeira metade da corrida, a equipa da Mercedes-Benz entrou nas boxes na oitava volta para instalar um novo conjunto de Michelins e colocar o seu melhor piloto, Cody Nikola Latkovski (Austrália), ao volante. Talvez em resposta a estes desenvolvimentos, a Audi, que seguia na liderança, entrou nas boxes para uma mudança de piloto e de pneus na volta seguinte, com o neozelandês Hayden Hunter a sentar-se ao volante. Após uma rápida visita às boxes, a Audi reentrou na corrida no segundo lugar, apenas 0,5 segundos atrás da Peugeot, que ainda não tinha encostado às boxes. Isso apenas aconteceu na volta 11, com o japonês Takuya Okamoto a assumir o controlo do Peugeot, seguindo-se de imediato a segunda paragem nas boxes da Porsche, o que deu ao piloto Tristan Bayless (EUA) caminho livre para o final. A Audi recorreu à mesma estratégia, entrando nas boxes na volta seguinte, encarregando o também norte-americano Zach Pettinicchi de terminar a corrida.

O momento mais emocionante da corrida surgiu na volta 13, quando Latkovski, no Mercedes-Benz, aproximou-se do Peugeot no segundo lugar através das curvas 5 e 6, antes de ultrapassá-lo na saída da curva 7, com o Audi logo ali à espreita. Na volta 15, o que a princípio parecia ser uma corrida a quatro passou a ser um duelo entre a equipa da Audi e a equipa da Porsche, enquanto que a Mercedes-Benz e a Peugeot ainda tinham mais uma paragem nas boxes para fazer. No final, foi o Audi R8 LMS que atravessou a linha da meta em primeiro lugar, conquistando 12 pontos, seguido de perto pelo Porsche 911 RSR com 10 pontos. A Mercedes-Benz terminou em terceiro, o que lhe valeu 8 pontos.

CLASSIFICAÇÃO FABRICANTE / PILOTOS TEMPO
1 Audi Hayden Hunter / Martin Grady / Zach Pettinicchi 30:20.086
2 Porsche Tristan Bayless / Daniel Carmo / Tatsuya Sugawara +00.415
3 Mercedes-Benz Anthony Felix / Tom Lartilleux / Cody Nikola Latkovski +02.743
4 Peugeot Lewis Bentley / Richard Castro / Takuya Okamoto +05.648
5 Ford Armen Aghakhan / Marco Grasso / Adam Wilk +07.062
6 Aston Martin Nick McMillen / Fabian Portilla / Ayumu Takida +27.651
7 Jaguar Vinicius Neto / Florent Pagandet / Kenny Conomos +28.833
8 Toyota Tomoaki Yamanaka / Simon Bishop / Manuel Rodríguez +31.942
9 Lexus Andrew Brooks / Adriano Carrazza / Baptiste Beauvois +32.388
10 Chevrolet Nicolas Schwendimann / Marco Mendoza / Michael Avansino +32.574
11 BMW Nicolás Rubilar / Coque López / Soma Iseri +33.920
12 Hyundai Steven Cotton / Tatsuro Hoshino / Agustín Cajal +45.768

Grande Final

Com a corrida anterior a decidir a ordem de partida para a Grande Final, o Audi R8 LMS arrancou da pole para a prova de 17 voltas em torno do lendário circuito de Spa-Francorchamps sob um céu límpido e com a pista seca. Os pontos nesta ronda valiam a dobrar, pelo que qualquer equipa poderia ainda cantar vitória no campeonato.

A corrida começou em grande quando o Mercedes-Benz AMG GT3 de Lartilleux, equipado com pneus suaves, contornou o Porsche de Bayless, que seguia com pneus médios, na primeira curva. Alguns segundos depois, Lewis Bentley perdeu o controlo do seu Peugeot RCZ Gr.3 na Eau Rouge (curvas 2, 3 e 4) e embateu de frente na barreira, caindo para as últimas posições. Entretanto, Lartilleux continuou a pressionar na reta de Kemmel e roubou a liderança ao Audi R8 LMS, com Bayless no Porsche a seguir-lhe o exemplo. E assim, no final da primeira volta, a Mercedes-Benz, a Porsche, a Audi e a Aston Martin seguiam nas quatro primeiras posições.

A Mercedes-Benz foi acumulando uma vantagem de mais de seis segundos até à sexta volta, altura em que teve início um confronto intenso pelo terceiro lugar. Pettinicchi, no Audi, tentava defender-se de um quarteto de carros liderado por Fabian Portilla (Chile) no Aston Martin Vantage, seguido pelo Ford GT de Wilk e pelo Chevrolet Corvette de Michael Avansino (EUA). A Audi acabou por entregar a sua posição ao entrar nas boxes no final da sexta volta, trocando para os pneus suaves e com Hunter a assumir o volante. A Audi reentrou na corrida na sexta posição.

No ponto intermédio da corrida, e com o céu a escurecer, a líder Mercedes-Benz fez a sua primeira paragem nas boxes para reabastecer e instalar pneus duros (que foram cerca de um segundo mais lentos que os suaves). Anthony Felix (EUA) assumiu o lugar do piloto. A paragem nas boxes mudou a ordem da classificação, com a Porsche a subir para o primeiro lugar com uma liderança de mais de 19 segundos sobre a Audi e a Aston Martin, enquanto que a Mercedes-Benz seguia 1,5 segundos mais atrás, no quarto posto. Entretanto, a equipa da BMW, com Coque López ao volante, subiu para quinto lugar após começar a corrida na 11ª posição.

Na volta 9, a Porsche entrou nas boxes pela primeira vez para reabastecer e trocar os pneus médios por duros. A Mercedes-Benz também visitou as boxes, optando pelos pneus médios ligeiramente mais rápidos enquanto que Latkovski assumia o volante, agora livre para terminar a corrida sem mais paragens. A Porsche reentrou na corrida na liderança, mas encostou às boxes na volta seguinte, para cumprir a regra mínima de uma volta com cada tipo de pneu. Agora, tal como a Mercedes-Benz, era um sprint até ao final, com Sugawara a conduzir o 911. Enquanto isso, a Aston Martin subiu à liderança, mas depois de uma série de carros efetuarem as suas paragens obrigatórias nas boxes, foi a Mercedes-Benz quem deu por si no topo da liderança.

Na volta 14, teve início um confronto aceso pelo quarto lugar entre Tomoaki Yamanaka (Japão) no Toyota Supra Racing Concept, que tinha começado a corrida na oitava posição, e Kenny Conomos (Austrália) no Jaguar F-Type Gr.3. Ambos seguiram lado a lado durante grande parte da segunda metade da pista, mas o Toyota acabou finalmente por ultrapassar o Jaguar no final da reta de Kemmel. Yamanaka virou de seguida a atenção para o seu compatriota, Sugawara, ao volante do Porsche, e acabou por ultrapassá-lo para subir ao segundo posto.

A corrida terminou com a equipa da Mercedes-Benz a chegar à bandeira axadrezada com uma vantagem de oito segundos, chegando ao título com um total de 32 pontos. A equipa da Toyota surpreendeu tudo e todos ao terminar em segundo lugar, o que foi o suficiente para dar à fabricante japonesa o terceiro lugar na geral (23 pontos). A terceira posição final da Porsche na Grande Final valeu-lhe um segundo lugar na geral (26 pontos). Mas a grande vencedora do dia foi a equipa da Mercedes-Benz, que conquistou o seu segundo campeonato consecutivo depois da vitória no mês passado no Word Tour 2019 - Nova Iorque.

“Todos nós contribuímos. Não há nada mais a dizer. Fizemos tudo à letra, não perdemos uma oportunidade, assumimos todos os riscos e correu tudo bem. Acho que a nova estrutura é interessante porque nos permite competir mais como uma equipa, mas também acho que é importante ter corridas individuais,” afirmou Latkovski, da equipa da Mercedes-Benz, no final da corrida.

World Tour 2019 – Red Bull Hangar-7
Resultado final da Manufacturer Series

CLASSIFICAÇÃO FABRICANTE / PILOTOS CORRIDA 1 GRANDE FINAL TOTAL DE PONTOS
1 Mercedes-Benz Anthony Felix / Tom Lartilleux / Cody Nikola Latkovski 8 24 32
2 Porsche Tristan Bayless / Daniel Carmo / Tatsuya Sugawara 10 16 26
3 Toyota Tomoaki Yamanaka / Simon Bishop / Manuel Rodríguez 3 20 23
4 Jaguar Vinicius Neto / Florent Pagandet / Kenny Conomos 4 14 18
5 Aston Martin Nick McMillen / Fabian Portilla / Ayumu Takida 5 12 17
6 Ford Armen Aghakhan / Marco Grasso / Adam Wilk 6 10 16
7 Audi Hayden Hunter / Martin Grady / Zach Pettinicchi 12 4 16
8 BMW Nicolás Rubilar / Coque López / Soma Iseri 0 8 8
9 Lexus Andrew Brooks / Adriano Carrazza / Baptiste Beauvois 2 6 8
10 Peugeot Lewis Bentley / Richard Castro / Takuya Okamoto 7 0 7
11 Chevrolet Nicolas Schwendimann / Marco Mendoza / Michael Avansino 1 2 3
12 Hyundai Steven Cotton / Tatsuro Hoshino / Agustín Cajal 0 0 0

O evento World Tour 2019 - Red Bull Hangar-7 terminará amanhã com a Nations Cup, onde 24 dos melhores pilotos do mundo, em representação dos seus respetivos países, competirão por um cobiçado lugar na Final Mundial.

Regressar à Lista