Please select your country / region

Close Window
GT
Comunidade GT SPORT
PT
GT Academy

Perguntas e Respostas com os vencedores anteriores Lucas Ordóñez e Jordan Tresson

LUCAS ORDÓÑEZ
 

Quanto tempo passas numa sessão, antes de fazeres um intervalo?
Normalmente, cerca de duas horas... hora e meia a duas horas.

Como abordas a aprendizagem de uma pista nova?
Dedico algum tempo, nas primeiras voltas, a conhecer as curvas, e depois da 3.ª ou 4.ª volta tento atingir o limite.

Recomendas que se vejam repetições de pilotos mais rápidos?
Sim, decididamente. Ajuda imenso ver os 5 ou 10 melhores, para saber as linhas que tomam e onde travam, para ter referências. Se isto existisse, na vida real, seria o melhor para treinar! É muito útil, no Gran Turismo®.

Como é que decides que mudança usar numa determinada curva?
Este ano, na condução real, aprendi que se temos dúvidas sobre fazer uma curva em 3.ª ou em 4.ª, por exemplo, devemos fazê-la em 4.ª. A questão é saber que rotações temos a meio de uma curva, na velocidade mínima. É preciso passar algum tempo a experimentar a 2.ª, 3.ª e 4.ª. É difícil, mas o normal é usar a mudança mais alta, pois é preferível patinar menos na saída.

Quando sabes que vais numa volta boa, como é que evitas ficar nervoso e fazer asneira no final?
(Risos) Isso aconteceu-me tantas vezes, quando estava a fazer a GT Academy. Era muito difícil, porque tentas sempre e sabes que estás numa boa volta, e depois duas curvas antes do fim da volta, ficas mais nervoso e sentes mais pressão, porque passaste imensas horas antes para atingir aquela volta perfeita e por vezes fazes asneira na última curva. Tens de manter a calma e confiar que se fizeres asneira naquela volta, terás outra oportunidade, Portanto, mantém a calma e pratica muito para estares 100% confiante.

Se fizeres uma partida lenta na volta, reinicias a volta ou continuas?
Depende, se começar muito devagar, um erro na primeira ou segunda curva, recomeço. Às vezes é bom fazer uma volta completa. É melhor não recomeçar quando voltas à PlayStation® e fazes imensos erros nos primeiros minutos. Mesmo que estejas a cometer erros ou a bater, continua a fazer voltas completas para treinar, depois, quando tiveres aquecido, podes recomeçar e não perder tempo a fazer voltas completas.

Tens algumas dicas para a preparação mental para um contrarrelógio competitivo?
O melhor é ter tempo suficiente para praticar todos os dias. Em termos de preparação mental, o mais importante é praticar todos os dias e não 4 horas num dia, e depois 3 dias sem treinar. O que percebi em 2008, quando ganhei a GT Academy, foi que devia praticar todos os dias, nem que fosse 15 ou 30 minutos.

Como é que sabes que atingiste o teu limite?
Nunca se atinge o limite. Tenho a certeza que ninguém atingiu o limite, no jogo. É difícil, mas lembro-me que nos primeiros dias, depois de ter comprado o volante, estava uns 3 ou 4 segundos fora do ritmo, umas semanas depois estava um décimo de segundo e depois era mais rápido do que os mais velozes. Nunca se atinge o limite, é só praticar e praticar e quando se é muito competitivo, lutas por meio décimo ou um quarto de décimo, e aí estás próximo do limite. É muito difícil saber qual é o limite.

Preferes perseguir o fantasma ou avaliar a tua velocidade pelos tempos parciais?
Para ser honesto, eu usei o meu fantasma, sim. Era uma boa referência, mas às vezes ficas nervoso e isso coloca-te sob pressão. Quando começas uma volta e estás na primeira ou segunda curva, e não vês o teu fantasma dizes a ti próprio que estás a fazer uma boa volta. E, de repente, aparece! Às vezes é muito mau quando vês o fantasma, por isso, sinceramente, quando estás no topo, ou és um dos mais rápidos no contrarrelógio , não recomendo a utilização do fantasma. Para aprender, nos primeiros dias do
contrarrelógio , é muito, muito útil, mas quando estás no topo ou és suficientemente rápido para lutar por décimos de segundo, coloca-te sob pressão e ficas nervoso quando vês o fantasma à tua frente, o que pode levar a erros.

Qual é a visão de condução /posição da câmara que usas nos contrarrelógios ?
A câmara de frente sem mais nada.

Existe algum equipamento ou roupa especial que uses, ou recomendes, para contrarrelógios importantes?
Não. Vi pessoas a usar luvas, mas para mim isso é ridículo, porque o volante não é assim tão duro para usar luvas. Uma coisa que é muito útil é conduzir descalço.

Recomendas utilizar, de início, a ajuda da linha de condução para aprender o circuito?
Se não conheces a pista, é útil nas primeiras voltas, mas não mais do que isso.

Existe alguma técnica de condução da vida real que se possa aplicar ao GT5? (Por exemplo: travar com o pé esquerdo ou entrar devagar, sair depressa.)
Sim, definitivamente, em termos de linha é muito realista. Para uma curva deves começar por fora, depois avançar para dentro e voltar para fora na saída. Usa toda a pista, não te deixes ficar no centro da pista. Precisas de entrar no melhor ângulo, como na vida real. O mais complicado é que tens de travar um pouco mais cedo do que pensas e depois começar a acelerar o mais cedo possível. Às vezes as pessoas gostam de travar mais tarde e mais a fundo do que eu recomendaria, é melhor travar suavemente e manter em travagem até ao ápice e depois acelerar a fundo o mais cedo possível.

Quando é que soubeste que podias chegar a pilotar um LMP2 com a Nissan e da possibilidade de correr nas 24 Horas de Le Mans?
Bem, sabes, ainda nem acredito que isto vai acontecer! Quando a PlayStation® e a Nissan me puseram num LMP, o ano passado, para verem o meu desempenho e como é que me poderia sair, foi espantoso. Lá estava muito nervoso mas depois da corrida fiquei muito feliz, toda a gente ficou muito feliz. Depois daquela corrida pensei: “Lucas, talvez consigas”. Pode ser que realize o meu sonho e possa fazer as 24 Horas de Le Mans, um dia. Nunca pensei que no 3.º ano da GT Academy isso fosse possível. É inacreditável.

Quais são as tuas expectativas para esta temporada, na Taça Intercontinental de Le Mans?
Não sei (risos), primeiro quero aprender mais sobre o carro, que é totalmente novo. Hoje estamos aqui em Paul Ricard para testar o carro, mas não tive hipótese de o testar, infelizmente. Estamos contentes porque o carro correu 100 km, 15 voltas, sem problemas. Infelizmente, hoje não conduzi o carro. Estou ansioso por Sebring, e vai ser um grande desafio. Sebring é uma pista muito difícil, muito acidentada. É uma pista americana, com os muros muito próximos da pista, um pouco perigosa para a primeira corrida. Estou confiante, sei que me saí bem em Silverstone e a equipa está contente comigo. As minhas expectativas são de melhorar sempre que estou no carro e fazer o melhor pela Nissan, aprender, aprender, aprender e estar pronto para a corrida do ano, que é Le Mans.
 
Como é um LMP2 em comparação com os carros que já pilotaste?
É um carro totalmente diferente. Tem travões de carbono e cerâmica, força descendente aerodinâmica, muito mais potência do que qualquer coisa que já guiei, como o Nissan GT4. É muito mais rápido e os pontos de travagem são muito próximos, é tudo diferente. Preciso de me habituar a isso. A equipa e companheiros de equipa estão a ajudar-me a melhorar sempre que me aproximo do carro, como hoje, para ver as informações com os engenheiros. É muito mais eficiente, em termos de velocidade nas curvas, por isso preciso de treinar diariamente, no ginásio. É completamente diferente de um carro GT. A maior diferença são os travões de carbono e cerâmica e a força descendente aerodinâmica, exige um estilo de condução totalmente diferente.

Até onde pensas que a tua carreira pode progredir, como um campeão da GT Academy, tendo em conta as coisas espantosas que já atingiste?
Penso que o maior objetivo que posso ter com a GT Academy é fazer as 24 Horas de Le Mans, mas nunca se sabe. É o 3.º ano da GT Academy e este ano vou a Le Mans, Sebring, Petit Le Mans, por isso não sei qual é o limite deste projeto ! Agora preciso de pensar na primeira corrida, em Sebring, que se está a aproximar e para a qual me tenho de preparar.
 
Quem pensas que vão ser os teus maiores rivais, este ano?
Não sei. Não quero pensar nisso, quero melhorar a minha condução e veremos em Sebring se vamos lutar para vencer o Campeonato Internacional de Le Mans, que é o nosso objetivo . Não quero pensar em quem vão ser os nossos rivais.

O que dirias a alguém que está à espera para experimentar a GT Academy, em casa, no seu sistema PS3™, e lê que tu vais correr nas 24 Horas de Le Mans, este ano?
Ao saber quem são Lucas Ordóñez e Jordan Tresson, e o que estão a fazer, depois de se terem esforçado tanto no simulador Gran Turismo®, saberão o que podem atingir com a Nissan e a PlayStation®. Se soubessem os meus resultados, e do Jordan, sentir-se-iam motivados para participar na GT Academy e tentar ser o próximo campeão. Para mim, têm de estar realmente concentrados nisto, eu sei que algumas pessoas pensam que jogar na PlayStation® é um hobby, mas para ganhar a GT Academy tem de se levar a sério, têm de se concentrar muito em treinar, não só na PlayStation®. Têm de estar em forma, ser profissionais, boas pessoas, comunicativos, saber trabalhar em equipa, tudo isso. Para ser piloto de corridas e vencedor da GT Academy é preciso ter todas essas coisas.

Por qual dos circuitos famosos em que vais correr em 2011 estás mais ansioso?
Le Mans, claro!

O GT5 vai ajudar-te a conhecer La Sarthe? (Nenhum dos outros circuitos está no jogo.)
Sim, decididamente. Acho que vou fazer a corrida de 24 horas na PlayStation®! Quer dizer, não tenho a certeza, porque os meus olhos vão estar muito cansados, mas vou tentar praticar!

Vais continuar a jogar GT5?
Sim, quando tenho tempo ainda jogo. Espero aproximar-me de Le Mans e praticar a sério no GT5.




JORDAN TRESSON


Quanto tempo passas numa sessão, antes de fazer um intervalo?
Consigo passar horas na Playstation®, acho que já sabes disso! Depende, por vezes horas, outras vezes farto-me depois de meia hora. Vale a pena passar horas e horas só para ficar qualificado para a final em Silverstone.
 
Como abordas a aprendizagem de uma pista nova?
Antes de mais tens de dar umas voltas e aprender o fundamental, não há nenhuma técnica em particular e tenta várias coisas durante toda a volta. Eu começo logo a abrir e se me despisto abrando na volta seguinte (gargalhadas), claro que na realidade não podes fazer isso, não é uma boa abordagem.

Recomendas ver as repetições dos corredores mais rápidos?
Claro que sim, podes aprender muito. Eu aprendi muito a ver o Arnaud Lacombe, é muito construtivo. Pensas sempre: “Como é que conseguem fazer aquilo e irem tão rápido?” Ao observá-los podes aprender as suas linhas, o que poderá ajudar claro.

Como é que decides que mudança usar numa determinada curva?
Depende de como sentes o carro. Por exemplo, em mudanças baixas, podes ter as rodas a patinar, o que é bom para meter mudanças cedo. Depende das rotações do motor, se estiverem muitos altas, então mete uma mudança. Às vezes, vale a pena trocar de mudanças cedo, especialmente em ganchos e chicanas lentas.

Quando sabes que vais numa volta boa, como é que evitas ficar nervoso e fazer asneira no final?
O que acabas de descrever é um problema para mim, porque estou sempre a pensar “não cometas nenhum erro! Agora não, por favor!” e na maioria das vezes, cometo um erro. Às vezes é melhor desligar o fantasma e conduzir. Penso que o melhor é não pensar nisso e continuar.

Se fizeres uma partida lenta na volta, reinicias a volta ou continuas?
A maioria das vezes, sei que não devia, recomeço a volta, mesmo que esteja apenas um décimo mais lento. O problema é que quando fazemos isto muitas vezes, ficamos a conhecer muito bem o início da pista, mas não conhecemos tão bem o final. Podemos estar a começar uma melhor volta, mas não fazemos o final da pista há 15-20 minutos, o que pode trazer complicações. Recomendo completar todas as voltas, a não ser que cometas um grande erro. Mas não é isso que tenho feito!

Tens algumas dicas para a preparação mental para um contrarrelógio competitivo?
Prepara-te para jogar durante horas. Mesmo que não queiras jogar e sabes que não vais ser muito rápido, joga. Por cada minuto que jogas, é melhor para o contrarrelógio . Para o GT Academy, joguei pela noite fora, até às 3h da manhã. Já sabia que não ia conseguir um tempo de volta rápido, foi jogar apenas por jogar. Acho que é útil.

Quando sabes que atingiste o teu limite?
Acho que nunca atingimos o nosso limite, podemos sempre fazer um centésimo mais rápido! O problema principal é esse, quando vemos onde cometemos um pequeno erro e pensamos que podemos ser mais rápidos. Depois ganhamos numa curva e perdemos noutra. Queremos sempre ir mais depressa, mas eu diria que se não melhoramos um tempo de volta em cerca de 1 hora, devemos estar próximos do limite.

Preferes seguir o fantasma ou avaliar a velocidade pelos tempos parciais?
A minha técnica com o fantasma é a seguinte: desligo-o e depois ligo-o a seguir a certas curvas, para ver se fui mais rápido ou não.

Qual é a vista de condução ou posição da câmara que usas nos contrarrelógios ?
No GT4 e GT5 Prologue, usava a câmara do para-choques , como quase toda a gente. Gosto da câmara interior, é melhor, de determinado ponto de vista. Mas para contrarrelógios , a câmara do para-choques .

Existe algum equipamento ou roupa especial que uses, ou recomendes, para contrarrelógios importantes?
Se gostamos mesmo muito, podemos usar luvas com o volante. Eu também conduzo descalço, mais nada em especial.

Recomendas utilizar, de início, a ajuda da linha de condução para aprender o circuito?
Podes tentar, mas é melhor teres as tuas próprias linhas de corrida. Mesmo na Fórmula 1, podes ver várias linhas de corrida em algumas curvas, portanto, tenta as tuas e vê as que preferes.

Existe alguma técnica de condução da vida real que se possa aplicar ao GT5? (Por exemplo: travar com o pé esquerdo ou entrar devagar, sair depressa.)
Claro que podes usar as mesmas linhas que usarias na realidade. O calcanhar e o dedo são inúteis no GT5, por isso, nada em especial.

Vais continuar a jogar GT5?
Sim, acho que sim. A Sony pediu-me para entrar num contrarrelógio específico, não o Academy, mas outro. Claro que vou tentar jogar, só para ver como me comparo aos melhores tempos.