Please select your country / region

Close Window
GT
Comunidade GT SPORT
PT
Conteúdos Especiais

Informações mais recentes sobre o Gran Turismo® 5, da Gamescom de 2010 (6/6)

A história dos carros do GT5:
O protótipo Lamborghini Miura Bertone
 
A surpreendente estreia do Miura

No Salão Automóvel de Turim de 1965, havia um chassis exposto num canto do stand da Lamborghini que ainda nem tinha carroçaria em cima. Uma simples estrutura, apenas com o volante, bancos e motor. Mas tinha a estrutura de um puro-sangue, a tecnologia de ponta dos carros desportivos modernos da altura.  Enquanto os motores centrais eram a marca registada patenteada da altura, este chassis tinha um motor de 12 cilindros montado atrás dos bancos, e como se não bastasse, estava de lado! No Salão Automóvel de Genebra do ano seguinte a surpresa ainda foi maior. Em exposição, estava um protótipo chamado "Miura", que era um carro com linhas de carroçaria fluidas, mais características dos carros desportivos com tração atrás.

A carroçaria foi desenhada pelo então designer chefe da Bertone, Marcello Gandhini. "Miura" é um nome proveniente de um rancho famoso em Espanha, local de nascimento de muitos touros temíveis.

Os distintos faróis subiam quando se acendiam.
As jantes arrojadas tinham um belo e complexo design.
 
O caminho até ao lançamento comercial

Na altura, o Miura era apenas um modelo de estudo da Lamborghini. No entanto, assim que foi apresentado no Salão Automóvel de Genebra, houve uma avalanche de perguntas, e Ferruccio Lamborghini decidiu disponibilizar o modelo comercial. Assim nasceu o Miura, o grande antecessor dos supercarros com motor central, como o De Tomaso Vallelunga. Devido ao seu design sem precedentes como carro de estrada, o desenvolvimento do Miura enfrentou imensas dificuldades. O equilíbrio do peso, com muito pouca carga sobre as rodas da frente e uma carga pesada sobre as de trás, tornou-o extremamente difícil de conduzir. E o motor logo atrás dos bancos produzia imenso calor e barulho. Havia uma infinidade de problemas a resolver.

Gian Paolo Dallara, que mais tarde se tornou um fabricante de F1 mundialmente famoso, era o engenheiro chefe responsável pelo desenvolvimento do Miura. Ele resolveu esses problemas um a um, paralelamente ao desenvolvimento do carro comercial. Os primeiros modelos do Miura P400 tinham uma potência de 350 CV, com um motor de 12 cilindros e 4 litros. Os números melhoraram à medida que o modelo evoluiu, e o P400S refinado tinha uma potência de 370 CV, e no P400SV final a potência foi aumentada para os 385 CV, com boa estabilidade nas rodas traseiras.

 
Um protótipo raro

Em março de 1967, quando o Miura começou a chegar aos clientes, foi enviado um Miura amarelo para um cliente americano. Podia parecer um P400 normal, mas observando-o mais de perto, o carro estava uma polegada mais baixo, conferindo à carroçaria, já de si baixa e larga, um ar ainda mais de predador. De facto, este é um de apenas dois protótipos do Miura que foram fabricados. Quem o adquiriu foi o Sr. J.W. Marriot, o fundador da famosa cadeia hoteleira internacional, Marriot International.

Um elemento distintivo do protótipo é a sua altura, uma polegada mais baixo
O motor de 12 cilindros montado horizontalmente explica a largura do carro.
 
Tu, ao volante da História.

O outro protótipo infelizmente foi destruído durante testes e já não existe. O Miura do Sr. Marriot é o único protótipo que resta do Miura. O Gran Turismo® 5 recriou esse raríssimo carro nas suas características originais. Sente os ideais do Lamborghini Miura através do protótipo, que naturalmente continha todas as ambições e esperanças da Lamborghini na sua forma mais pura.