GT

Please select your country / region

Close Window
Comunidade GT SPORT
PT
TopoRelatórios em DiretoNations CupManufacturer SeriesCalendárioArquivos

Regressar à Lista

NATIONS CUP
Glória, resiliência, sorte e mágoa – A Final Mundial da Nations Cup 2021 teve um pouco de tudo
Série de 2021 da Nations Cup – Final Mundial
05/12/2021

Tóquio, Japão (5de dezembro de 2021) – Enquanto centenas de milhares de jogadores do GranTurismo Sport se enfrentavam em corridas semanais durante as duas Épocas Online dos FIA Certified Gran Turismo Championships 2021, um formato revisto para os participantes de primeira categoria corria em paralelo. Todos os pilotos participaram via remota a partir de vários pontos espalhados pelo mundo em quatro rondas da World Series e no Showdown da World Series, que marcou o ponto intermédio da época. Os pontos da World Series acumulados pelo caminho foram transportados para a Final Mundial da Nations Cup, o último evento da Série de 2021,e que foi transmitido no fim de semana passado.

Na final, 32 dos pilotos mais rápidos do mundo juntaram-se e foram divididos em três grupos para competirem em três meias-finais divididas por região. Com 12 pontos atribuídos ao primeiro classificado, 10 pontos ao segundo classificado, 8 pontos ao terceiro classificado e por aí fora, o objetivo de cada piloto passava por garantir a qualificação para a Grande Final e ao mesmo tempo acumular o máximo de pontos possível. E como os pontos na Grande Final valiam a dobrar, até os jogadores menos favoritos tinham hipóteses matemáticas de chegar ao título da Nations Cup2021. Mas para isso precisariam de utilizar toda a sua habilidade e sangue-frio para levar a melhor sobre o grande favorito, o italiano Valerio Gallo, cuja velocidade e consistência ao longo desta série ajudaram-no a chegar à Final Mundial com uma vantagem de seis pontos sobre o seu rival mais próximo, o espanhol Jose Serrano.

Meia-final A, região Ásia/Oceânia: Mount Panorama Motor Racing Circuit

A primeira corrida da Nations Cup do dia foi uma prova de oito voltas com o Mazda Roadster Touring Car no circuito australiano de Mount Panorama Motor Racing Circuit, palco do Bathurst 1000. O campeão em título, o japonês Takuma Miyazono (Kerokkuma_ej20), conseguiu o tempo mais rápido na qualificação no grupo da Ásia/Oceânia,conquistando a pole position para esta corrida. Seguiu-se o seu compatriota Ryota Kokubun (Akagi_1942mi) e os australianos Guy Barbara (PX7-Twitchy) e Andrew Lee(PX7-AmazingHour).

Como apenas os cinco primeiros classificados avançariam para a Grande Final, os 10 carros cedo partiram para a ofensiva. Miyazono entrou na curva 1 na frente da corrida, enquanto Lee passou por Barbara para chegar à terceira posição. Na volta seguinte, o japonês Kanata Kawakami (SG_Kawakana) passou por Barbara através da curva Quarry para conquistar o quarto lugar, seguido por Lee que ultrapassou Kokubun numa manobra corajosa por dentro à saída da curva 4 e que lhe valeu o segundo lugar.

Era evidente que Lee estava em grande forma pela velocidade superior que exibiu nas primeiras voltas da corrida. Na volta 3, ultrapassou Miyazono na reta de Conrod para subir à liderança. No ponto intermédio da corrida, os 10 pilotos mantinham-se muito próximos, estando cada carro separado por meio segundo ou menos. Lee seguia na frente, com Miyazono, Kokubun, Kawakami e Barbara em perseguição.

Na volta 5, o japonês Tomoaki Yamanaka (yamado_racing38) colocou-se pelo lado interior de Barbara de forma agressiva durante o cotovelo da curva 4, atingindo o Roadster do australiano e enviando-o para o último lugar. Os comissários da corrida não deixaram a manobra de Yamanaka passar em branco e atribuíram-lhe uma forte penalização de 2 segundos que o chutou para fora dos primeiros lugares e acabou com os seus sonhos de juntar a vitória na Nations Cup à vitória na Manufacturer Series.

As emoções atingiram o clímax no final da volta 7, quando os primeiros sete carros entraram colados nas curvas 22 e 23, lutando por posição na última volta da corrida. A refrega manteve-se até ao início da volta 8, com Kokubun, Kawakami e o japonês Tatsuhiko Kato (Tatsukt) a colocarem-se lado a lado na pista para tentar garantir o importante quinto lugar. Kawakami venceu o confronto, e enquanto isso o neozelandês Matt McEwen (AE_McEwen) tirou partido do caos para subir ao terceiro lugar depois de arrancar em quinto, e com menos de uma volta por disputar. Na reta de Conrod, Takuma Miyazono ultrapassou Lee e subiu à liderança. Num final emocionante, Lee tentou passar por fora na última curva, mas entrou demasiado a fundo e enquanto Miyazono via a bandeira axadrezada, Matt McEwen passou por Lee em cima da meta e ficou com o segundo lugar. Kanata Kawakami e Ryota Kokubun ficaram em quarto e quinto, respetivamente, e qualificaram-se para a Grande Final.

CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Takuma Miyazono Kerokkuma_ej20 18:40.165
2 Matthew McEwen AE_McEwen +00.310
3 Andrew Lee PX7-AmazingHour +00.312
4 Kanata Kawakami SG_Kawakana +00.415
5 Ryota Kokubun Akagi_1942mi +00.501
6 Tatshuhiko Kato Tatsukt +00.599
7 Jonathan Wong saika159- +01.731
8 Soma Iseri Arrow71sr +02.418
9 Tomoaki Yamanaka yamado_racing38 +03.825
10 Guy Barbara PX7-Twitchy +06.073

Meia-final B: Autodromo Nazionale Monza

A segunda corrida do dia incluía a maior grelha de partida das três meias-finais, com 13 jogadores representativos da região Europa/Médio Oriente/África, e com os seis primeiros classificados a avançarem para a Grande Final. Os pilotos encontravam-se ao volante do carro de fórmula Gran Turismo F1500T-A para um confronto de 15voltas no Autodromo Nazionale Monza. Cada piloto teria de completar pelo menos uma volta com os pneus duros e médios, por isso as paragens nas boxes também eram um fator a levar em conta. O mais rápido da qualificação foi o húngaro Patrik Blažan (RSZe_Fuvaros8), que conquistou a pole position da corrida. Seguiu-se o espanhol Jose Serrano (PR1_JOSETE), o italiano Valerio Gallo (Williams_BRacer) e um ilustre desconhecido, o francês Kylian Drumont (eMONACO_Kylian19K).

Todos os participantes, com a exceção do espanhol Coque López (coqueIopez14) na 12ªposição, optaram por arrancar com os pneus duros. O seu plano era subir na classificação e saltar para a frente assim que possível de modo a acumular uma vantagem considerável antes de trocar para os pneus duros. Era uma estratégia arrojada do espanhol, mas que poderia render bons dividendos se tudo lhe corresse de feição. A ação começou de imediato com Serrano e Gallo a atacarem Blažan logo na primeira curva na tentativa de chegarem à liderança. Serrano conseguiu passar, mas Gallo ficou preso atrás do piloto húngaro. Entretanto, o belga Quinten Jehoul (ERM_Quinten) foi forçado a sair para a gravilha pelo checo Nikita Moysov (ERM_Nick), o que o fez cair do quinto para o último lugar. Já López aproveitou a confusão para tomar a quinta posição. Moysov recebeu uma severa penalização de 3 segundos que o colocou fora da corrida.

No final da volta1 praticamente todos os pilotos com os pneus duros entraram nas boxes para instalar os pneus médios. López, que se manteve em pista e subiu à liderança, queria dilatar a sua vantagem antes da paragem obrigatória. A sua estratégia parecia estar a ser executada na perfeição.

A meio da volta 4, López havia acumulado uma vantagem de 20 segundos sobre Serrano e Gallo. O italiano Giorgio Mangano (Williams_Gio) subiu para quarto depois de arrancar em 10º. A corrida registou alguns incidentes na volta 5, quando os carros da oitava à 12ª posição se confrontaram na Curve di Lesmo. Registaram-se alguns raspões e colisões, o que levou os comissários a atribuírem penalizações ao espanhol Nicolas Romero (ERM_NicoRD), a Moysov e ao alemão Miroslaw Kravchenko (V1_MK01).

No início da volta 7, o francês Baptiste Beauvois (R8G_TSUTSU) ultrapassou Mangano e subiu ao quarto lugar, enquanto López aumentava a vantagem na frente para 21 segundos. Mangano voltou a recuperar a posição uma volta depois, com os carros a alcançarem os 315 km/h nas retas. Como esperado, López entrou nas boxes no final da volta 14 com uma vantagem de 21 segundos, mas seria o suficiente para se manter na frente ao regressar à pista? A resposta foi negativa. O espanhol saiu à frente de Serrano e Gallo, mas enquanto subia de velocidade os rivais ultrapassaram-no facilmente.

Na volta final deu-se um duelo intenso entre os dois líderes por pontos do campeonato, Gallo e Serrano, com o italiano a roubar a liderança ao espanhol na Curva Biassono. Serrano manteve-se colado à traseira do carro de Gallo, com a ideia de usar o cone de aspiração do rival na reta seguinte e ultrapassá-lo através da Curva Parabolica, na secção final da pista. Mas Gallo estava ciente do plano do espanhol e bloqueou a linha interior na reta, forçando Serrano a seguir por fora. O espanhol conseguiu passar para a frente por um momento, mas como se viu obrigado a contornar a curva final pelo trajeto mais longo, Gallo recuperou a liderança na reta final. Contudo, Serrano não desistiu e protagonizou um último ataque, mas não foi bem-sucedido e cruzou a meta uns meros quatro centésimos de segundo atrás de Valerio Gallo! Coque López acabou em terceiro, fruto de uma prestação brilhante e uma estratégia de corrida ousada, com Baptiste Beauvois, Giorgio Mangano e Patrik Blažan a garantirem também os seus bilhetes para acorrida final.

CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Valerio Gallo Williams_BRacer 22:00.850
2 Jose Serrano PR1_JOSETE +00.046
3 Coque López coqueIopez14 +00.796
4 Baptiste Beauvois R8G_TSUTSU +02.281
5 Giorgio Mangano Williams_Gio +02.567
6 Patrik Blazsán RSZe_Fuvaros8 +03.817
7 Nicolas Romero ERM_NicoRD +07.712
8 Nikita Moysov ERM_Nick +08.666
9 Arie Rodrigues Haydar eMONACO_Arie64 +14.219
10 Quinten Jehoul ERM_Quinten +14.606
11 Kylian Drumont eMONACO_Kylian19 +16.317
12 Ádám Tápai TFz_Adam18) +16.946
13 Miroslaw Kravchenko V1_MK01 +21.700

Meia-final C: Blue Moon Bay Speedway – Interior A

A grelha de partida para a corrida da meia-final da região das Américas era composta por nove jogadores, com os cinco primeiros a avançarem para a Grande Final. Na pole desta prova de 17 voltas em torno do circuito de Blue Moon Bay Speedway – Interior A encontrava-se o brasileiro Lucas Bonelli (TGT_BONELLI), seguido do chileno Angel Inostroza (YASHEAT_Loyrot) na segunda posição e outro brasileiro, Igor Fraga (IOF_RACING17), no terceiro lugar. Os pilotos teriam de cumprir um mínimo de uma volta com os pneus médios e duros, o que implicava pelo menos uma visita às boxes.

Os carros decorrida Ford GT arrancaram de forma limpa, sem manobras de ultrapassagens sérias, mas o canadiano Andrew Brooks (PX7-Deafsun) deparou-se com problemas de subviragem na curva 4 e embateu na barreira, caindo para o final da classificação. Na direção oposta encontrava-se o americano Daniel Solis (PX7-Lamb), que subiu para sexto depois de arrancar em último. Solis e o brasileiro João Pessôa (GRID_JoaoSof) entraram nas boxes no final da primeira volta para instalar os pneus médios mais velozes de imediato. Chegados à volta 3, os quatro primeiros pilotos – Bonelli, Inostroza, Fraga e o guatemalteco Juan Hernandez (TX3_Kangreti) – começaram a separar-se dos restantes, acumulando uma vantagem de 3,4 segundos sobre a quinta posição, ocupada por Brooks. No final da volta 4, os líderes entraram nas boxes e todos optaram pelos pneus médios, regressando à corrida na mesma ordem pela qual saíram.

No ponto intermédio da corrida, os quatro primeiros carros alongaram a sua vantagem para mais de seis segundos, com o brasileiro Adriano Carrazza (KoA_Didico15), Brookse o norte-americano Randall Haywood (R8G_Originals) a disputarem o quinto e último lugar para a Grande Final. Na volta 11, Brooks fez uma ousada tentativa de ultrapassagem por fora de Carrazza ao longo da curva 1, colocando o seu Ford GT à frente do carro do brasileiro, mas Carrazza recuperou a posição logo a seguir no cotovelo da curva 5. Foi nesta altura que as tréguas entre os quatro primeiros carros pareceram chegar ao fim, com Inostroza a pressionar Bonelli na tentativa de subir à liderança.

Enquanto Carrazza e Brooks disputavam o quinto lugar, Haywood aguardou pacientemente no cone de ar na esperança de que um dos rivais cometesse um erro. Esse momento chegou na curva 6, quando Brooks pisou a relva com uma roda, o que fez com que tanto ele como Carrazza perdessem velocidade e permitindo que Haywood passasse. Brooks foi rápido a recuperar a compostura e deixou o brasileiro para trás na esperança de ajustar as contas com o americano, e foi o que fez na volta seguinte.

Na penúltima volta, Inostroza tentou finalmente subir à liderança, colocando-se pelo interior de Bonelli e tentando travar mais tarde que o rival no cotovelo da curva 4. O chileno conseguiu passar, mas foi sol de pouca dura porque Bonelli manteve a linha interior na próxima curva. Isto forçou Inostroza a passar para fora na curva 5, o que permitiu a ultrapassagem tanto de Bonelli como de Fraga,deixando o chileno num dececionante terceiro lugar. A corrida terminou com Lucas Bonelli a cruzar a meta em primeiro, seguido de Igor Fraga, Angel Inostroza, Juan Hernandez e Andrew Brooks, que conquistou o último lugar na Grande Final.

CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Lucas Bonelli TGT_BONELLI 20.13.995
2 Igor Fraga IOF_RACING17 +00.148
3 Angel Inostroza YASHEAT_Loyrot +00.675
4 Juan Hernández TX3_Kangreti +00.827
5 Andrew Brooks PX7-Deafsun +12.216
6 Randall Haywood R8G_Originals +12.425
7 Adriano Carrazza KoA_Didico15 +12.919
8 João Cláudio Santos Pessôa GRID_JoaoSof +17.321
9 Daniel Solis PX7-Lamb +22.686

Grande Final: Dragon Trail – Litoral

Esta era acorrida decisiva. Os últimos 16 pilotos teriam pela frente 22 voltas em torno do desafiante circuito de Dragon Trail – Litoral para decidir quem levaria para casa o troféu de campeão da Nations Cup 2021. Como os pontos valiam a dobrar nesta prova, praticamente todos os pilotos em pista tinham hipóteses matemáticas de vencer, mas o favorito continuava a ser o italiano Valerio Gallo, o piloto que tinha dominado 2021. Gallo entrou na Grande Final com 30 pontos e com o seu grande rival, o espanhol Jose Serrano, oito pontos atrás. E foram estes os dois pilotos mais rápidos da qualificação, colocando os seus Ford GTLM Spec II Test Car na primeira fila da grelha, com Serrano na pole position. O campeão das Américas, o brasileiro Lucas Bonelli, arrancou em terceiro lugar, como japonês Takuma Miyazono em quarto. Como em todas as Grandes Finais da Nations Cup, os pilotos teriam de cumprir pelo menos uma volta com os pneus macios, médios e duros, o que implicava duas visitas às boxes.

Quando as luzes verdes se acenderam, ficou óbvio que teríamos uma autêntica guerra em mãos, com todos os pilotos a tentarem conquistar posições na curva 1. O japonês Kanata Kawakami foi quem se saiu melhor, deixando para trás o compatriota Takuma Miyazono com os pneus duros mais lentos, e passando por Bonelli, também com pneus duros, pelo lado de fora depois da curva 3. De seguida, Gallo fez uma ultrapassagem de mestre a Serrano para subir à liderança no cotovelo. Os carros assentaram numa formação a meio da volta de arranque, estando os primeiros cinco carros dotados de pneus médios: Gallo, Serrano, Kawakami, o guatemalteco Juan Hernandez e o australiano Andrew Lee.

Na segunda volta, Kawakami mostrou que era candidato à vitória quando ultrapassou Serrano no segundo lugar através do cotovelo que levava à reta da meta. No final desta volta, o primeiro grupo de pilotos fez as suas visitas às boxes, incluindo o campeão em título Miyazono, o espanhol Coque López e o campeão de 2018, o brasileiro Igor Fraga, que havia arrancado num dececionante 14º lugar. Enquanto Miyazono e Fraga trocaram para os pneus macios, López optou por guardar os pneus mais rápidos para o final da corrida e instalou os médios.

No início da volta 4, Gallo aumentou a liderança para 1,2 segundos, e havia menos de um segundo a separar os carros da segunda à quinta posição, pilotados respetivamente por Kawakami, Serrano, Hernandez e Lee. Mas Kawakami teve um grande azar na volta seguinte quando levou o seu Ford GT a entrar mal na curva 4, derrapando com a traseira e embatendo na barreira interior. O japonês teve a sorte de cair apenas quatro lugares na classificação, mas as suas hipóteses de vitória no campeonato caíram por terra.

Entretanto, Miyazono continuava a liderar a corrida, já com uma paragem nas boxes consumada. Outro piloto que ia subindo discretamente na classificação era o francês Baptiste Beauvois, que tinha arrancado em último e estava agora em 10º lugar. Na volta 7,os líderes entraram nas boxes, com Gallo e Hernandez a optarem por trocar para os pneus macios, enquanto Serrano e Lee optaram pelos médios. Apenas o tempo diria quem estava a adotar a estratégia certa. Quando regressaram à pista, embora Mangano tivesse a liderança oficial da corrida porque ainda não tinha visitado as boxes, o verdadeiro líder era Miyazono, com Gallo 1,9 segundos atrás. De forma algo surpreendente, o japonês Ryota Kokubun, que também estava equipado com pneus macios, subiu para quarto com Fraga e Serrano logo atrás.

Na volta 9, Gallo mostrou porque era o alvo a abater este ano, já que efetuou uma ultrapassagem de mestre a Miyazono no exterior da curva 11 para subir à liderança. No final da volta 10, Miyazono fez a sua última paragem nas boxes para instalar os pneus médios, na esperança de que resistissem até ao final da corrida. Isto colocou Kokubun num segundo lugar provisório, seguido por Hernandez,Mangano e Serrano. Após uma série de paragens nas boxes nas voltas seguintes, Miyazono voltou a subir para quarto lugar, atrás de Gallo, Hernandez e Mangano, a quem ainda faltava mais uma paragem nas boxes. Outro piloto que se fez notar foi Beauvois, que tinha subido para o sexto lugar.

Na volta 17, Gallo e Hernandez, em segundo lugar, fizeram as suas últimas paragens de modo a cumprirem com o regulamento e instalarem os pneus duros e mais lentos. Regressaram à pista em segundo e quarto lugar, respetivamente (Mangano, na liderança, ainda precisava de fazer mais uma paragem), com Miyazono ensanduichado entre eles e Beauvois em quinto. Com apenas quatro voltas por disputar, Gallo, com os pneus duros, teve de recorrer a todas as suas capacidades para se defender de Miyazono com os pneus médios e de Beauvois com os macios. O campeonato da Nations Cup seria decidido entre estes três pilotos!

A meio da volta 18, Miyazono ultrapassou Gallo no cotovelo da curva 11, subindo à liderança da corrida, mas Miyazono cometeu um erro na chicana e devolveu a liderança ao italiano. Enquanto Miyazono tentava desesperadamente ultrapassar Gallo, Beauvois aproximou-se do piloto japonês e começou a ensaiar a ultrapassagem. A oportunidade chegou na volta 19 logo após a chicana, com Beauvois a subir ao segundo lugar e virando agora as atenções para o Ford GT vermelho de Gallo. Conseguiria o francês alcançar o feito quase impossível de saltar de último para primeiro na Grande Final?

Beauvois colocou-se no cone de aspiração de Gallo e subiu para primeiro na penúltima volta, mas os seus pneus macios estavam desgastados, o que permitiu a Gallo manter-se sempre na sombra de Beauvois ao longo da volta. Talvez devido à pressão aplicada por Gallo, Beauvois perdeu brevemente o controlo sobre o seu carro na chicana, dando a Valerio Gallo a abertura que precisava para recuperara liderança. O italiano já não olhou para trás, cortando a meta em primeiro e conquistando a Nations Cup 2021. O domínio do italiano no campeonato foi claro: terminou 18 pontos à frente do segundo classificado, Jose Serrano, que ficou em quarto nesta corrida, e 22 pontos à frente do terceiro classificado, Takuma Miyazono. A brilhante prestação de Baptiste Beauvois na Grande Final valeu-lhe um quarto lugar na classificação geral da série.

Gallo disse o seguinte após vencer o seu primeiro título da Nations Cup: “Foi uma excelente Série, onde conquistei o título da Nations Cup, venci quatro Rondas e ainda a Olympic Virtual Series. Sim, é algo mágico. Nem sei descrever o que estou a sentir porque passei o ano a descobrir do que sou capaz. Quero dedicar este campeonato a todas as pessoas que me apoiaram.”

CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Valerio Gallo Williams_BRacer 35:19.026
2 Baptiste Beauvois R8G_TSUTSU +00.290
3 Takuma Miyazono Kerokkuma_ej20 +01.775
4 Jose Serrano PR1_JOSETE +02.041
5 Lucas Bonelli TGT_BONELLI +02.991
6 Juan Hernández TX3_Kangreti +03.126
7 Angel Inostroza YASHEAT_Loyrot +04.628
8 Patrik Blazsán RSZe_Fuvaros8 +04.851
9 Giorgio Mangano Williams_Gio +05.506
10 Ryota Kokubun Akagi_1942mi +07.536
11 Igor Fraga IOF_RACING17 +08.046
12 Matthew McEwen AE_McEwen +08.211
13 Coque López coqueIopez14 +09.473
14 Kanata Kawakami SG_Kawakana +11.742
15 Andrew Lee PX7-AmazingHour +15.916
16 Andrew Brooks PX7-Deafsun +24.002

Série de 2021 da Nations Cup – Final Mundial
Resultados

CLASSIFICAÇÃO PILOTO Semi Final - Grupo A Semi Final - Grupo B Semi Final - Grupo C GRANDE FINAL TOTAL DE PONTOS
1 Valerio Gallo Williams_BRacer - 12 - 24 36
2 Takuma Miyazono Kerokkuma_ej20 12 - - 16 28
3 Baptiste Beauvois R8G_TSUTSU - 7 - 20 27
4 Jose Serrano PR1_JOSETE - 10 - 14 24
4 Lucas Bonelli TGT_BONELLI - - 12 12 24
6 Juan Hernández TX3_Kangreti - - 7 10 17
7 Angel Inostroza YASHEAT_Loyrot - - 8 8 16
8 Patrik Blazsán RSZe_Fuvaros8 - 5 - 6 11
9 Giorgio Mangano Williams_Gio - 6 - 4 10
9 Igor Fraga IOF_RACING17 - - 10 0 10
9 Matthew McEwen AE_McEwen 10 - - 0 10
12 Andrew Lee PX7-AmazingHour 8 - - 0 8
12 Ryota Kokubun Akagi_1942mi 6 - - 2 8
12 Coque López coqueIopez14 - 8 - 0 8
15 Kanata Kawakami SG_Kawakana 7 - - 0 7
16 Andrew Brooks PX7-Deafsun - - 6 0 6
17 Tatshuhiko Kato Tatsukt 5 - - - 5
17 Randall Haywood R8G_Originals - - 5 - 5
19 Jonathan Wong saika159- 4 - - - 4
19 Nicolas Romero ERM_NicoRD - 4 - - 4
19 Adriano Carrazza KoA_Didico15 - - 4 - 4
22 Soma Iseri Arrow71sr 3 - - - 3
22 Nikita Moysov ERM_Nick - 3 - - 3
22 João Cláudio Santos Pessôa GRID_JoaoSof - - 3 - 3
25 Tomoaki Yamanaka yamado_racing38 2 - - - 2
25 Arie Rodrigues Haydar eMONACO_Arie64 - 2 - - 2
25 Daniel Solis PX7-Lamb - - 2 - 2
28 Guy Barbara PX7-Twitchy 1 - - - 1
28 Quinten Jehoul ERM_Quinten - 1 - - 1
30 Kylian Drumont eMONACO_Kylian19 - 0 - - 0
30 Ádám Tápai TFz_Adam18 - 0 - - 0
30 Miroslaw Kravchenko V1_MK01 - 0 - - 0
FIA GT Championships 2021 | Final Mundial | Nations Cup | Final
Será que ninguém consegue parar o ás italiano Valerio Gallo?...
Um desempenho determinante coloca um ponto final numa Série emocionante
Tóquio, Japão (4de dezembro de 2021) – O ponto alto dos FIA ...

Regressar à Lista