GT

Please select your country / region

Close Window
Comunidade do GT SPORT
BR
TopoLeia os relatóriosNations CupManufacturer SeriesCalendárioArquivos

Voltar para a lista

RELATÓRIO DO EVENTO
Uma estratégia ousada nos boxes faz a diferença na final da GR Supra GT CUP!
Toyota GR Supra GT Cup | Série de 2020
18/12/2020

As finais da Toyota GR Supra GT Cup, uma competição de monotipo, preparam o terreno de maneira espetacular para as World Finals de 2020 dos FIA Gran Turismo Championships. Vinte e quatro jogadores do mundo inteiro se reuniram via transmissão de vídeo, tudo para saber quem é o piloto mais rápido do arrojado Toyota GR Supra. Os competidores (formados pelos 22 melhores pilotos da Série Online mais dois selecionados em eventos regionais) foram divididos em dois grupos de 12 para disputarem duas semifinais. Os seis primeiros colocados de cada corrida ganharam pontos e avançaram para a Grande Final, que concedia o dobro de pontos aos finalistas. No fim, o piloto com mais pontos seria coroado campeão da GR Supra GT Cup de 2020. Uma sessão classificatória de 10 minutos determinou a ordem do grid de cada corrida, e o espanhol José Serrano começou o dia conquistando a primeira posição da primeira corrida, enquanto o novato Jin Nakamura (Japão) levou a pole da semifinal B.

Semifinal A

O palco das semifinais foi a bela Fuji International Speedway, no Japão. Em sete voltas, os jogadores teriam que correr com pneus duros por todo o percurso. Ou seja, não haveria pit stops. Atrás do primeiro colocado, o espanhol José Serrano (PR1_JOSETE), vinha o holandês Rick Kevelham (HRG_RK23), seguido pelo italiano Valerio Gallo (Williams_BRacer) e pelo campeão da EMEA da Nations Cup Coque López (Williams_Coque14).

Conforme os 12 Supras largavam em fila única, todos os pilotos tomavam o maior cuidado na direção, já que os carros pareciam um tanto instáveis apesar dos pneus rígidos. Assim que a segunda volta começou, Gallo partiu para o ataque. Na curva 1, o italiano demorou a frear e entrou na curva na frente do segundo colocado, Kevelham, mas não conseguiu concluir a ultrapassagem porque acabou exagerando na velocidade e abriu demais o ângulo do carro. Ainda em 3º lugar, Gallo não se deu por vencido e continuou atacando.

Na metade da corrida, os cinco primeiros colocados começaram a se distanciar do resto dos competidores, com Serrano na frente, seguido por Kevelham, Gallo, López e pelo húngaro Ádám Tápai (TRL_ADAM18). Mais atrás, o português Carlos Salazar (pcm_stj) tentava se defender a todo custo do italiano Giorgio Mangano (Williams_Gio) numa disputa pelo concorrido 6º lugar, a última posição que garantiria uma vaga para a Grande Final.

Na curva 6 da volta 4, Gallo, querendo tirar o segundo lugar das mãos de Kevelham, fez uma manobra ousada por dentro da pista. Os dois carros seguiram lado a lado pela curva, quase se encostando enquanto passavam pelo ápice, mas Kevelham se manteve na linha de direção e não cedeu aos avanços do italiano. Enquanto isso, um outro italiano, Mangano, ultrapassava Salazar para ficar com o 6º lugar.

A volta 6 foi eletrizante, com Gallo tentando ultrapassar de novo Kevelham, atrasando a hora de frear na curva 1. Embora tivesse alcançado o Supra de Kevelham, o holandês voador manteve a calma e não cedeu um milímetro sequer. Então, na última volta, tivemos o momento mais emocionante da corrida, quando Coque López partiu para cima de Gallo, tentando ultrapassá-lo por fora da curva 15. Mas Gallo não estava disposto a ser ultrapassado. Os dois correram lado a lado até a última curva, mas López vinha num embalo um pouco maior na reta principal e conseguiu deixar o espanhol para trás, conquistando a 3ª posição, que manteve até o fim da corrida. Mas foi o outro espanhol da corrida, José Serrano, que teve o melhor desempenho, levando os 12 pontos e terminando na frente de Rick Kevelham, que conquistou suados 10 pontos por ter ficado em 2º lugar.

CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Jose Serrano PR1_JOSETE 13:28.014
2 Rick Kevelham HRG_RK23 +00.275
3 Coque López Williams_Coque14 +01.559
4 Valerio Gallo Williams_BRacer +01.728
5 Ádám Tápai TRL_ADAM18 +01.799
6 Giorgio Mangano Williams_Gio +02.357
7 Carlos Salazar pcm_stj +03.653
8 Ar Muhammed Aleef LORAleefHamilton +05.433
9 Samet Özsahin GTTY_Samet +05.765
10 Sérgio Fonseca NWS_serfonseca +06.193
11 Luca Lazzari ExP_Luca +11.829
12 Abdulaziz Rayes R-a-y-e-s__ +18.516

Semifinal B

Como na primeira corrida, também tivemos aqui uma disputa de 7 voltas na Fuji International Raceway, sem o requisito de troca de pneus. Para a surpresa geral, a pole ficou com o japonês Jin Nakamura (EDGE--RS), que já teria que se defender logo de cara, seguido por vários astros das pistas, como o campeão regional das Américas, o brasileiro Lucas Bonelli (TGT_BONELLI), o classificado da Ásia e Oceania, Tomoaki Yamanaka (yamado_racing38), e o campeão da World Tour 2020 – Sydney, Takuma Miyazono (Kerrokuma_ej20).
Como esperado, a corrida já começou emocionante, com Miyazono tentando ultrapassar o conterrâneo Yamanaka na curva 4 (chamada 100R), quase perdendo o controle do carro na primeira volta. Os pilotos se aglomeravam, com mais ou menos três segundos separando os primeiros nove carros.

Na volta 2, tivemos a primeira ultrapassagem da corrida, quando o australiano Daniel Holland (MetalGear9493) deixou para trás o japonês Mamoru Okada (APEX-M_Okada) para ficar com o 6º lugar. A ordem da corrida permaneceu mais ou menos inalterada pelas voltas seguintes. Relativamente novato nas corridas, Nakamura mostrou a compostura e o sangue-frio de um veterano calejado, defendendo-se de todos os competidores.

Na volta 5, Okada reconquistou o 6º lugar das mãos de Holland na curva da Coca-Cola (curva 3), antes de partir para cima do 5º colocado, o australiano Cody Nikola Latkovski (Nik_Makozi). Enquanto isso, Miyazono vinha com tudo para cima do Supra vermelho de Yamanaka, tentando ultrapassá-lo a qualquer custo para ficar com o 3º lugar, mas Yamanaka manteve-se firme na linha de corrida e conseguiu segurar a posição.

No começo da volta 7, Bonelli tentou se esgueirar por dentro da pista para ultrapassar Nakamura, mas o japonês não deu a menor abertura para o brasileiro. Talvez isso tenha exaltado os ânimos de Bonelli, que foi atrás de Nakamura de novo na complexa curva 6, numa manobra ainda mais agressiva que resultou na ultrapassagem.

Então, num clímax digno de Hollywood, houve uma confusão generalizada entre os primeiros colocados quando Nakamura abriu demais na curva 9, deixando Yamanaka ultrapassá-lo pela lateral. Enquanto eles disparavam pela estreita curva Dunlop (curva 10), Yamanaka decidiu que era hora do tudo ou nada: ele foi o último a frear, ultrapassou Nakamura e alcançou o líder da corrida, Bonelli. Durante a curva, os três ficaram lado a lado, mas Yamanaka disparou para ficar com a liderança. Conforme ele disparava, um confronto generalizado explodiu logo atrás, com Miyazono e Latkovski encostando na traseira de Bonelli e Nakamura, numa batalha épica pelas últimas curvas da pista.

Quando a poeira baixou, Tomoaki Yamanaka havia cruzado a linha de chegada primeiro, seguido por Bonelli, Nakamura e Latkovski, que conseguiu ultrapassar Miyazono na última curva. Depois da corrida, Jin Nakamura recebeu uma penalidade arrasadora de 2 segundos por colidir com outro carro, que acabou deixando ele de fora da Grande Final. Foi um fim trágico para o piloto japonês que havia liderado boa parte da corrida, mas as corridas guardam esse tipo de surpresa.

CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Tomoaki Yamanaka yamado_racing38 13:28.846
2 Lucas Bonelli TGT_BONELLI +00.546
3 Cody Nikola Latkovski Nik_Makozi +01.660
4 Takuma Miyazono Kerokkuma_ej20 +01.771
5 Mamoru Okada APEX-M_Okada +02.059
6 Angel Inostroza YASHEAT_Loyrot +02.321
7 Daniel Holland MetalGear9493 +02.660
8 Jin Nakamura EDGE--RS +03.168
9 Douglas Wilson dctrburdock +03.228
10 Mark Pinnell Turismo-lester +05.381
11 Daniel Solis Px7-Lamb +05.924
12 Nicolas Martin NikoAM19 +06.146

Grande Final

O último evento do dia foi uma corrida de 15 voltas no famoso Circuit de Spa-Francorchamps, na Bélgica. Diferente das corridas emocionantes da semifinal, a disputa agora exigiria que os pilotos tivessem uma estratégia para entrar nos boxes, tendo que dar pelo menos uma volta com cada composto de pneu. E, apesar de José Serrano (Espanha) e Tomoaki Yamanaka (Japão) terem vencido as semifinais, o grid de largada da Grande Final foi decidido por outra sessão classificatória de 10 minutos, onde Serrano mais uma vez foi o mais rápido, seguido por Takuma Miyazono (Japão) e Lucas Bonelli (Brasil).

Assim que as luzes verdes se acenderam, houve uma corrida frenética rumo à primeira curva. Na disputa pelas posições, vários dos carros chegaram bem perto de entrarem em colisões, mas todos saíram ilesos. Usando pneus suaves, Serrano, Miyazono e Bonelli lideravam a corrida, enquanto as posições intermediárias (do australiano Cody Nikola Latkovski, em 4º, a Yamanaka, em 9º) começaram a corrida com pneus médios da Michelin, numa estratégia diferente do que os líderes. Na volta 3, os três primeiros pilotos haviam conquistado uma folga de 5 segundos em relação ao resto dos competidores, enquanto o italiano Giorgio Mangano, que havia largado em 5º, teve que deixar a corrida devido a problemas técnicos.

Na volta 4, Angel Inostroza (Chile) partiu para cima Latkovski na reta Kemmel, usando o vácuo e ultrapassando o australiano a 250 km/h para ficar com o 4º lugar.

Os primeiros pit stops importantes ocorreram na volta 8, quando os três líderes entraram nos boxes com uma folga de 13 segundos em relação ao 4º colocado, Latkovski, que estava 15 segundos à frente do 5º lugar, Ádám Tápai (Hungria). O líder da corrida, José Serrano, escolheu pneus médios, assim como Lucas Bonelli, mas o 2º colocado, Miyazono, conhecido pelas estratégias ousadas nos boxes, optou pelos pneus de borracha dura. Quando os três voltaram para a pista, Serrano imediatamente começou a deixar os outros para trás, enquanto Bonelli ultrapassava Miyazono na chicane Bus Stop e ficava com o 2º lugar. Com cerca de 3,5 segundos de diferença por volta entre os pneus suaves e os duros, muitos se perguntaram se Miyazono não teria cometido um erro ao optar por esse composto assim tão cedo na corrida. Partindo para cima de Miyazono, que estava mais lento, Inostroza (que vinha com pneus suaves) ultrapassou Tápai e ficou com o 4º lugar.

Na volta 9, Miyazono entrou nos boxes pela segunda vez, optando pelos pneus médios. Ele voltou à pista em 6º lugar e, tendo cumprido os requisitos de pneu, agora planejava ir até o fim sem fazer outra parada. Enquanto isso, o italiano Valerio Gallo, que havia largado em 7º, seguia conquistando posições, ultrapassando Inostroza em Les Combes para ficar com o 3º lugar.

Com três quartos da disputa já transcorridos, Serrano estava 2,1 segundos à frente de Bonelli, o 2º colocado, mas ambos ainda tinham que dar uma volta com pneus duros. Na volta 13, o brasileiro foi o primeiro a ceder, fazendo seu último pit stop. Gallo também entrou nos boxes e, com Inostroza tendo feito o mesmo na volta anterior, Miyazono havia conquistado, magica e subitamente, o 2º lugar.

Com apenas uma volta para o fim da corrida, Serrano fez seu último pit stop com 20 segundos de liderança em relação a Miyazono. Assim, a vitória estava praticamente garantida, porque mesmo se chegasse em 2º lugar e com Miyazono em 1º ele ainda teria a liderança geral nos pontos. Depois de trocar os pneus, o espanhol voltou para a pista atrás de Miyazono... e também atrás de Bonelli, acredite se quiser! Ninguém esperava que Serrano terminasse a corrida em 3º lugar. Era algo que mudaria completamente a ordem do campeonato, fazendo o espanhol perder os 16 pontos, que garantiriam a vitória geral, para ficar com apenas 14 pontos, enquanto a pontuação total de Miyazono subiria para 15, empatando com Bonelli no topo do ranking, dando ao piloto japonês o título por ter vencido a Grande Final.

E foi exatamente isso que aconteceu. Miyazono havia conseguido a façanha de novo, deixando todos em choque com uma brilhante estratégia de parada nos boxes e conquistando outra vitória incrível. Bonelli também teve um bom despenho do início ao fim da corrida, conquistando o 2º lugar, seguido por Serrano em 3º e pelo também espanhol Coque López, em 4º.

Depois da virada, o novo campeão do GR Supra GT de 2020, disse o seguinte: "Fico muito feliz por tudo ter dado certo no final. A competição foi acirrada, então eu me sinto muito sortudo por ter vencido o campeonato. Fico feliz também porque a minha estratégia dos boxes funcionou, mas eu fiquei nervoso até o fim. Agora, eu quero aproveitar esse embalo nas World Finals da Nations Cup."

CLASSIFICAÇÃO PILOTO TEMPO
1 Takuma Miyazono Kerokkuma_ej20 40:43.261
2 Lucas Bonelli TGT_BONELLI +03.754
3 Jose Serrano PR1_JOSETE +04.617
4 Coque López Williams_Coque14 +08.373
5 Valerio Gallo Williams_BRacer +08.534
6 Cody Nikola Latkovski Nik_Makozi +08.860
7 Tomoaki Yamanaka yamado_racing38 +09.145
8 Ádám Tápai TRL_ADAM18 +09.551
9 Angel Inostroza YASHEAT_Loyrot +09.716
10 Mamoru Okada APEX-M_Okada +21.310
11 Rick Kevelham HRG_RK23 +22.170
12 Giorgio Mangano Williams_Gio N\u00E3o acabou

Toyota GR Supra GT Cup | Série de 2020 | Resultados

CLASSIFICAÇÃO PILOTO Semi-Final GRANDE FINAL TOTAL DE PONTOS
1 Takuma Miyazono Kerokkuma_ej20 3 12 15
2 Lucas Bonelli TGT_BONELLI 5 10 15
3 Jose Serrano PR1_JOSETE 6 8 14
4 Coque López Williams_Coque14 4 7 11
5 Tomoaki Yamanaka yamado_racing38 6 4 10
6 Valerio Gallo Williams_BRacer 3 6 9
7 Cody Nikola Latkovski Nik_Makozi 4 5 9
8 Ádám Tápai TRL_ADAM18 2 3 5
9 Rick Kevelham HRG_RK23 5 0 5
10 Angel Inostroza YASHEAT_Loyrot 1 2 3
11 Mamoru Okada APEX-M_Okada 2 1 3
12 Giorgio Mangano Williams_Gio 1 0 1
GR Supra GT Cup 2020 | Final
A competição de monotipo mais global do mundo, com jogadores...

Voltar para a lista